Pessoal Textos

Quando escrever um diário

17.06.16
Escrevendo um diário.

Essa página em branco me assusta por alguns motivos, entre eles o mais relevante: não estou acostumada a deixá-la intacta. Na verdade, a página em branco me incomoda profundamente – por mais que isso possa parecer bizarro.

Com uns 9 anos ganhei um diário da minha tia, e comecei a me incomodar com suas páginas vazias. Então comecei a escrevê-lo. Ele não foi o único, vieram diários de viagem à praia – ele era verde e repleto de figurinhas – vieram canetas mágicas que prometiam não deixar que outros lessem meus escritos – e com elas vieram a percepção que os demais poderiam ler sim. Claro que eu fazia tudo errado, escrevia até sobre o meu café da manhã e qual rua exata eu morava. Mas só percebo hoje o que aprendi disso tudo, o que apreendi para mim. A lembrança mais forte que tenho sobre isso é de escrever sobre o menino que eu gostava, e, tenho que admitir, meu extinto de escorpião começava a gritar – e lembrar disso não me deixa mais constrangida como antes. Eu falava sobre as pessoas que eu amava e sobre aquelas que eu preferia manter distância; falava o que eu pensava, falava apenas porquê sabia que aquele pedaço de papel não iria me julgar como qualquer outro faria. Falava tudo e escrevia freneticamente – fazendo meus garranchos serem riscos incompreensíveis – escrevia para não desabar; para olhar para todas aquelas coisas e pensar melhor sobre elas – sim sempre refletindo sobre tudo – já que elas estavam escritas. Eu precisava de um local que ouvisse tudo detalhadamente, mas não uma pessoa – hoje em dia eu tenho uma pessoa assim – mas algo que eu pudesse amassar e jogar fora se eu não gostasse mais dos meus segredos – mesmo tendo dúvidas sobre isso, acho que eu sempre os amei e cultivei. Queria algo inanimado e que pudesse carregar todas as minhas palavras mesmo que eu não existisse mais. Queria algo que nunca me questionasse: Por que desistiu de dar um simples selinho em quem você gostava e talvez esperasse por isso? Por que resolveu não comer a cenoura que tinha no almoço? Por que continua achando que o problema é você e não eles? Por que não aceita de vez que não deve tão jovemente sofrer por quem não gosta de você? Aliás, por que se importar?

Ele talvez não tenha me dado todas as respostas, mesmo eu ainda esperando por elas. Talvez ele tenha sido bem mais que uma fuga. Talvez ele não tenha feito diferença nos meus atos – mas com toda a certeza fez diferença na pessoa que eu sou. Ele me fez ver as coisas por outro ângulo e a pensar antes de agir – talvez pensar até mais que o necessário me fazendo fantasiar coisas que nunca iriam acontecer, pelo menos não com quem eu gostaria que acontecesse. Me fez questionar sobre os caminhos que eu tomava e sobre por quem eu buscava viver: por mim ou por aqueles que queriam definir o que eu era? Escrevia, como eu sempre digo: para um desafogar. Para lembrar-me que eu estava íntegra apesar de tudo – no sentindo mais intrínseco da palavra. Era algo que eu necessitava, um amor, um vício, um alívio. Escrever sempre foi algo ao qual eu me dediquei exatamente para viver e, quando eu esqueço deste meu alimento tudo em mim para de funcionar. Muito mais que um combustível para o que sou, mas até mesmo um óleo para as engrenagens disso tudo. Não posso me enganar, escrevo para viver. E foi essa escrita que me salvou de ser o que eu poderia ser; que me mostrou em quem eu me tornava – e por isso pude regredir quando a rota estava errada ou prosseguir decididamente. Por esses motivos eu acredito que você deve escrever um diário, talvez só precise do aconchego das folhas quentes e de uma boa caneta. Não tenha vergonha, nem coloque cadeados. O que você é deve ser exposto à você e talvez a mais ninguém – mais isso quem deve resolver é você. Está na hora de estender seu ser para o entender; ele está a tempos ansioso por isso. Desafogue-se.

Mirando-se no espelho.
18 coisas que você precisa saber antes de Morar Sozinho
Porque escolhi ser professora.

:D :-) :( :o 8O :? 8) :lol: :x :P :oops: :cry: :evil: :twisted: :roll: :wink: :!: :?: :idea: :arrow: :| :mrgreen:
  • Nayane Martins Em 17 . 06 . 2016

    Também tive vários diários, e ver as páginas em branco me incomodam até hoje. Amei o post, você escreve muito bem.

    Blog Nayane Martins
    Fanpage Nayane Martins

  • Samira Em 17 . 06 . 2016

    Obrigada Nayane! Sim hahaha as páginas imploram para serem escritas :)

  • Jessica Em 17 . 06 . 2016

    Eu escrevi praticamente a minha vida toda. Até hoje tenho vaaaarias agendas. Hoje quando leio fico pensando e lembrando: “poxa, eu era muito demente mesmo PQP” mas percebo o quanto amadureci e venho amadurecendo todo dia. Escrevia para desabafar porque não queria que ninguém soubesse o que eu passava, escrevia um mundo em que eu queria viver, onde eu não iria sofrer.
    Amei teu post Sam, me fez lembrar de quando escrevia no papel <3

  • Samira Em 17 . 06 . 2016

    Exatamente isso, o papel deixa a gente mais confortável né? Muito obrigada Jé!

  • Juuh Em 17 . 06 . 2016

    Você escreve muito bem Samira. Tinha vários diários na adolescência mas nunca conseguia completar. Admiro muito quem faz! Mil beijos :*

  • Samira Em 17 . 06 . 2016

    Eu também não os completava mas eram amigos muito bons de ouvir hahaha

  • Clara Fagundes Em 17 . 06 . 2016

    Ô Samis, que massa. Concordo totalmente com você. Diários são jeitos incríveis de aprendermos a nos entender e a entender o mundo também. Sempre tive diários e até hoje vivo com um caderninho em mãos <3

  • Gaby Em 17 . 06 . 2016

    Olá Samira, tudo bem?
    Que post lindo! ♥ Eu gostava de escrever em diários quando era pequena, colocava meus sentimentos, acontecimentos do dia e o que tinha feito na escola. Além disso, gostava de desenhar paisagens e bonequinhas para expressar minha felicidade. Parei de fazer isso quando adolescente e atualmente gosto de escrever textos para o blog.
    Beijos :*

  • Samira Em 17 . 06 . 2016

    Eu não desenhava muito, eu só colava figurinhas no máximo haha, mas é um costume muito bom para lidarmos com nós mesmos <3

  • Jessie Em 17 . 06 . 2016

    Nossa, nossa, nossa!!! que texto lindo :)
    Me identifiquei totalmente, já tive N números de diários e olha que eu amava escrever diariamente, quando eu não escrevia, quando eu não contava o meu dia a ele me sentia completamente mal sabe e foi assim, a partir da revelação de meus segredos, medos e inseguranças para aquelas folhas em branco que descobri minha paixão pelas palavras.
    Seu blog é maravilhoso, adorei o layout e você também é escorpiana??
    Enfim parabéns pelo blog e pelas belas palavras, mil beijooos
    http://meiosentimental.blogspot.com.br/

  • Samira Em 17 . 06 . 2016

    Oxe sou sim! hahaha onde eu denunciei este fato? hehehe eu também, foi com eles que comecei a me identificar com os escritos também :) Muito obrigada!

  • Marina Menezes Em 17 . 06 . 2016

    Eu escrevo diário há quase cinco anos e me identifiquei completamente com suas palavras! As páginas em branco também me incomodam, e até hoje quando pulo algum dia do diário tenho vontade de preencher com alguma coisa, qualquer coisa. Mas deixo para lá, o que não foi não é. A sensação de poder escrever sobre qualquer coisa sem ter ninguém para ler ou julgar é muito boa, e o melhor de tudo é poder voltar algumas páginas no seu diário e entender coisas que aconteceram com você sem que você tenha notado. Eu tive um grande insight sobre a minha vida lendo meus diários, e por isso não desista, mesmo que uma vozinha na minha consciência diga que é coisa de criança. Aliás, adorei seu blog, lindo demais!

  • Samira Em 17 . 06 . 2016

    Também acho que não é coisa de criança, pelo contrário, é bem adulto; pois podemos refletir sobre o que passou, sobre erros e acertos não é? Não pare não, eu ainda não comecei, infelizmente, mas ainda não abandonei a ideia hehehe ♥

  • Silvana Em 17 . 06 . 2016

    (não sei se meu comentário pelo face foi direito rs, vou comentar por aqui também)

    Diários são ótimos, desabafar e não ser julgada kk Esses dias olhei os meus, o mais velho é de 6 anos atrás, é uma sensação tão boa rs, você vê o quanto mudou, pensamentos, gostos etc. Viva as mudanças!! Diários são bons para relembrar. Adorei seu blog, muito fofo <3

    http://www.blogcoisasdachina.com.br/

  • Samira Em 17 . 06 . 2016

    Preciso muito voltar a escrever nos diários principalmente por isso; não ter pessoas que julguem. Eu joguei os meus fora kkkk

  • Luiza M. Em 17 . 06 . 2016

    Eu já escrevi diários quando eu tinha uns 9 anos, desabafava sobre minha vida e dificuldades na escola ou em amizades, mas logo desisti porque eu não escrevia com frequência. E caraca, você escreve muito bem!

  • Samira Em 17 . 06 . 2016

    ♥ obrigadzinha Lu! Ah mas é tão bom escrever diários, desabafar, refletir :)

  • LArissa ribeiro Em 17 . 06 . 2016

    Sempre quis ter um diário, mas nunca sabia como, o que fazer. Isso me inspirou. Não deixarei páginas em brancos, tenho muitas palavras para escrever desde já! Sua escrita é maravilhosa! Muito obrigada!

  • Samira Em 17 . 06 . 2016

    Nossa muito obrigada! ♥ fazer um diário é tão amorzinho né? é um cuidado com a gente mesmo :)