Em voga

O que NÃO escrever na redação do Enem – em hipótese alguma.

25.10.16

O que não escrever na redação do Enem em hipótese alguma Enem 2016 Enem 2017 como tirar nota 1000 mil na redação do Enem dicas redação perfeita enem direitos humanos competências EnemEu tive notas muito boas ano passado nas redações dos vestibulares, sendo a do Enem um pouco mais de 900, e a da Fuvest – valendo até 50 pontos – se não me engano fiquei entre 46 ou 47. E a da Vunesp 28, que é a nota máxima. Esse post é, mais especificamente sobre o que não deve ser dito na redação do Enem – e em nenhuma outra redação.

Não sei se você se recorda, mas o critério de avaliação da redação do Enem é baseado em competências que seriam, resumidamente: domínio da norma culta da língua escrita, compreensão da proposta e desenvolvimento do tema baseado em conhecimentos prévios do candidato, organização de  argumentos e ponto de vista, adequação do texto  à estrutura do gênero dissertativo-argumentativo e por fim elaboração de propostas de intervenção social respeitando os direitos humanos.

Bom, eu gostaria muito de chegar agora pra você e dizer que a sua opinião será valorizada independentemente de qual seja ela, pois afinal, estamos em tese em uma democracia. Mas infelizmente eu não posso afirmar isso. O Enem espera que você baseie suas ideias respeitando sempre os direitos humanos – portanto algumas frases de intolerância que circulam por ai não devem ser colocadas na dissertação, por mais claro e explicitado que seu texto esteja. Alguma frases e ideias só de estarem presentes no texto já farão com que sua redação seja zerada. Meus professores corrigem as redações dos vestibulares, e olhe, tenha certeza que eles estão loucos pra colocar um belo zero para aqueles que desrespeitarem essa ética. Lá na Letras, nós respeitamos bastante a opinião do outro, tanto é que sempre temos assembleias e grupos de discussão e estudo sobre alguns assuntos como estes, porém se vocês forem por esse lado de extremismo e infligir os direitos humanos, ninguém vai “respeitar” sua opinião. Principalmente no que tange minorias historicamente desfavorecidas como negros, homossexuais, transexuais e mulheres. Gostaria de salientar que não vou entrar muito no âmago das questões, meu intuito é apenas dar um pincelada em conceitos que algumas pessoas pensam em colocar nas redações – e que se o fizerem, estarão zerando esta.

“Bandido bom é bandido morto”

A pena de morte não está prevista no código penal brasileiro, e infelizmente o maior erro dessa frase não se encontra tanto na pena de morte, mas no fato de defender a ideia de que as pessoas que estão à margem da sociedade não devem ser- lhes dada uma nova chance. O Enem espera que você diga totalmente o contrário, espera que você busque reinserir este individuo ao convívio social – lançando mão de mecanismos sociais como alguma capacitação profissional, apoio psicológico, alguma ajuda financeira se for necessária… – todas essas ideias são coisas que você pode inserir no seu texto no que se refere à questões de presidiários e, digamos, seu destino.

“Ideais homofóbicos, por exemplo dizer que homossexualidade é  doença”

1973, a Associação Americana de Psiquiatria retirou a homossexualidade da lista de transtornos mentais. Portanto afirmar algo assim na redação já lhe garantirá um zero. É importante que esteja bem claro na sua mente a diferença entre Ideologia de gênero e orientação sexual e seus mais variados tipos (bissexual, homossexual, heterossexual, pansexual, assexual…)

Ideologia de gênero: o gênero ao qual a pessoa se identifica

Orientação sexual: diz mais respeito a por quem a pessoa se sente atraída sexualmente.

Na proposta do ano passado, tendo em vista o texto de Simone de Beauvoir seria interessante incluir esse tópico na redação – principalmente ao defender que “ninguém nasce mulher, torna-se mulher” fazendo um gancho entre a pressão social que forma o indivíduo e a ideologia de gênero

Machismo e castração química

A castração química é muito defendida na bancada evangélica, por não agir na raiz do problema que seria a busca de direitos iguais entre homens e mulheres, algo bem contornado por esse grupo – confesso que eu era adepta dessa ideia e depois de muita leitura que pude compreender e agora posso resumir o porque disso não dar certo.

O estupro é um ato de dominação do homem que se acha superior a mulher, sem a genital ele vai usar qualquer outra coisa para estuprá-la, não sei se você viu  até recentemente um caso de que um homem estuprou uma garota com um cabo de vassoura. Outra coisa que eu pessoalmente não defendo é sobre o estuprador ter um problema mental; na verdade acredita-se que todo homem é um potencial estuprador – porque quando estamos sozinhas em uma rua deserta à noite nós preferimos que seja até o demônio do que um homem, tamanho o medo de tal violência. Porém a ideia de doença mental nesses casos é bem difundida – partindo da premissa de que o estupro é tão absurdo que apenas alguém com problemas mentais seria capaz de praticá-lo. O problema de relacionar estupro com doença mental é que corre o risco de atenuar a culpa do estuprador, aliviando a pena e a culpa social pois – coitado, ele tem um problema mental. Sendo que nós queremos que ele arque com as consequências deste ato horrendo. Também é importante lembrar que o estupro e o assédio andam juntos – sabe aquele amigo que beija a garota na festa mesmo ela não querendo só porque ela está bêbada? Ou aquele cara que encosta nas mulheres no ônibus? Esses são apenas alguns degraus do estupro. Além disso; frases como “lugar de mulher é na cozinha” “mulher boa é recatada e do lar” e quaisquer outras frases que diminua a mulher e/ou justifique o estupro e o assédio também não devem nunca serem difundidos e defendidos. É importante também ressaltar a cultura do estupro (isso por si só já valeria um post inteiro, mas vou resumir) que é um dos argumentos para não classificar o estuprador como doente mental. A cultura do estupro diz respeito à sociedade que sempre acredita que a mulher é inferior e que – em linhas bem gerais – não deve ser valorizada, e seu corpo deve ser escondido ao máximo pois ela é a culpada dos posteriores abusos. Um outro exemplo da cultura do estupro é a difusão de mulheres seminuas em comerciais de televisão – buscando uma maior audiência. Ou o burburinho que se faz quando uma atriz compartilha suas fotos de nudez por livre e espontânea vontade – e não fotos “vazadas” como a maioria das vezes – defendendo que fotos assim devem ser exaltadas apenas se não tiverem o consentimento da mulher. Não vou me alongar muito neste tópico – creio que já deu para perceber onde eu quero chegar.

Contra cotas              

Se o tema for por esse lado você terá de ser a favor, vamos simplificar e vamos estabelecer que as cotas raciais devem ser defendidas mesmo que você embase muito bem sua argumentação dizendo por exemplo – deve haver alguma reforma no ensino que possibilite que essas pessoas possam entrar nas universidades sem nenhum tipo de ajuda – mas perceba que, mesmo assim, fica meio forçado. A cota racial diz respeito à representatividade do negro no ensino superior para assim derrubar algumas barreiras raciais que ainda temos na sociedade – olhe na sua sala de aula do cursinho (ou de uma escola particular) e responda: quantos negros você vê na sua sala? Quantos acha que verá nas universidades? Quanto as cotas sociais aí a historia é um pouco diferente e acredito mais polêmica e então talvez você possa tentar discordar e discorrer sobre isso, sobre ser uma forma que  o governo encontrou de esconder o problema e de não agir em sua raiz. Mas sempre lembrando que os alunos que precisam dessa cota são tão inteligentes e capazes quanto você, mas tiveram oportunidade de estar na universidade. Como você pode querer um país mais igualitário, mais capacitação profissional, mais estudiosos, mais universitários sendo que algumas crianças de baixa renda sabem que nunca terão tudo isso? Como você pode achar isso justo?

Ditadura militar

Acho esse tópico bem óbvio para não ser defendido, mas nunca se sabe. Deve-se tomar muito cuidado ao tentar defender a ditadura por motivos de ideologia política, como por exemplo, exaltando o Golpe Militar justificando que assim, a esquerda sucumbiu e a direita venceu. Vocês já devem ter ouvido muitos relatos de professores, e talvez até de parentes e avós que tenham vivido nessa época e sabem o horror que viveram; a impossibilidade de discordar do regime e  as torturas sofridas por aqueles que lutavam para ser ouvidos. Meu professor de linguística comentou que há um estudo mostrando que o Brasil até hoje não se recuperou culturalmente do buraco deixado pela ditadura. Já ouvi pessoas defendendo a ditadura por algum parente que viveu na época defender que os militares não foram corruptos e que todos viviam em paz (acredito que apenas os ignorantes viviam em paz) vale a pena pesquisar um pouco mais sobre “os militares não foram corruptos”.

Se você gostou desse post eu o oriento a pesquisar mais sobre esses tópicos e ler um pouco mais sobre o assunto – aproveite esse tempo para dar uma “relaxada” lendo sobre essas questões. Esse post veio de um roteiro que fiz para me ajudar em uma palestra que fiz na escola em que estudei (a minha primeira palestra da vida e ainda por cima no dia do professor, super presente adiantado hehe) – os alunos estavam tendo dificuldades com essa parte do direitos humanos e bom, ás vezes eles não são tão óbvios para alguns (infelizmente). Eu tenho um post mostrando tudo o que descobri sobre Bolsonaro (fonte principal dos tópicos explicitados acima) para lê-lo basta clicar aqui.

Os Meus 13 Porquês| Podem acreditar numa garota viva?
Como as bonecas Barbie influenciaram a imagem que eu tenho do meu corpo.
Desculpa, mas não dá pra ser um “Feliz Dia” das Mulheres

:D :-) :( :o 8O :? 8) :lol: :x :P :oops: :cry: :evil: :twisted: :roll: :wink: :!: :?: :idea: :arrow: :| :mrgreen:
  • Entre Anas Em 25 . 10 . 2016

    Gente, fico em choque que existem seres humanos que coloquem essas coisas na redação! hahaha Faz tanto tempo (mentira, 3 anos!) que não faço vestibular, tô com medo de errar tudo no enem esse ano haha

  • Samira Em 25 . 10 . 2016

    Ai nem me fale, achei meio absurdo mas um monte de gente veio agradecer dizendo que ajudou – vai saber né – de qualquer forma pelo menos não vão ir tão mal na prova..

  • Gabriela Dahmer Coitinho Em 25 . 10 . 2016

    Falou tudo! Esse post está super completo e dá uma dica muito legal, isso vale muito para quem não tem muito a cabeça aberta sobre esses assuntos. Já exemplos do machismo onde a pessoa não passou no Enem só por conta da redação sendo a favor, lembro que tinha uma frase dizendo que “lugar de mulher era no fogão ou lavando uma louça” e não estudando. Deprimente demais!

    Amei o post.

    Beijos,
    Blog Gaby DahmerFanpageInstagramTwitter

  • Samira Em 25 . 10 . 2016

    Por um lado é até bom o povo colocar essas ideias né? A vida usa Darwin, vai filtrando que entra e quem fica.
    Muito obrigada Gabi!

  • Thaiane e Thalita Em 25 . 10 . 2016

    Faz tempo que prestamos o Enem, realmente as provas tem alguns absurdos , os estudantes devem ler esse post antes de fazer a prova, por conter tópicos bem importantes.

    Beijos

    http://www.onlyinspirations.blogspot.com.br

  • Samira Em 25 . 10 . 2016

    Né? Obrigada lindas, espero que ajudem!

  • Pâmela Em 25 . 10 . 2016

    Fiz enem duas vezes e acredito que, acima de tudo, a redação foi a que mais me preocupou. Minha nota não foi das melhores mas, deu para o gasto hahaha.

    Seu post é ótimo, principalmente por abordar de forma tão clara assuntos que são tão destratados.

    blog | facebook | instagram

  • Samira Em 25 . 10 . 2016

    Que amorzinha, muito obrigada. Redação a gente só fica boa mesmo depois de muito treino e leitura! ♥

  • Aline Amorim Em 25 . 10 . 2016

    Gostei do post. Já fiz o ENEM há alguns anos mas não tinha pensado que certos assuntos e opiniões não devem aparecer na redação.
    Gostei muito dos argumentos.
    Beijos

  • Samira Em 25 . 10 . 2016

    Muito obrigada Aline, é, muitos candidatos dão uma pequena “bobeada” na redação, e ela é muito importante para a nota!

  • Helena Krauel Em 25 . 10 . 2016

    Graças aos céus eu já passei por isso. Mas viu, não são só as pessoas que vão prestar o ENEM que deveriam ler isso, hein?

    Beijinhos, sucesso!! Com carinho, Menina Borboleta. <3
    http://meniborboleta.blogspot.com.br/

  • Samira Em 25 . 10 . 2016

    hahah nem me fale né mozão, nem me fale. Eu queria ter me aprofundado mais em cada tema mas como era mais para o Enem deixei só “citado” mas todo mundo deve saber dessas coisas!

  • Marina Menezes Em 25 . 10 . 2016

    Chega a ser impressionante como ainda tem gente que precisa ler sobre isso. Mas infelizmente essas pessoas existem. Acho super válido essa coisa dos direitos humanos na redação do ENEM, pra mim qualquer ideia que desrespeite os direitos humanos (que são direitos MUITO básicos, no sentido de ser o mínimo que a pessoa precisa pra ser tratada com respeito, se você for pensar) não deve ser defendida como uma ideia ou ideologia, mas como discurso de ódio mesmo. Deve ser bem chato corrigir essas redações, cada absurdo que as pessoas devem escrever

  • Samira Em 25 . 10 . 2016

    Nem me fale Mari, pior é que onde fui dar palestra sobre isso, os alunos não estavam respeitando nenhum dos direitos humanos – e colocavam isso nas redações! Bem triste ver que tem pessoas assim mas, quem sabe a gente não consegue ir mudando um pouquinho por vez né?

  • hellz Em 25 . 10 . 2016

    OOOOOOOI!

    Os absurdos ditos em redações de enem e vestibulares da vida chegam a ser tão risíveis que parecem ter sido bolados especialmente pra compor uma piada. É difícil aceitar que aquilo saiu da cabeça da criatura pra ser levado a sério ._.

    Pior que boa parte disso está ligada a falta de educação de qualidade, do acesso à cultura, de expandir o mundo desses jovens em questão. Mas BR é isso, né? :(

    adorei o post e a proposta dele <3

    beijo
    beinghellz.com

  • Samira Em 25 . 10 . 2016

    Obrigada Helz ♥ Mas discordo um pouco de você, eu acredito que não são pessoas que não tem acesso à cultura e educação que pensam assim. Acho totalmente ao contrário, a grande maioria sabe que está errada, mas acha que tem uma grande “opinião” e que por estarmos em uma democracia, o desrespeito deles é um ato normal – pois estão apenas expondo suas opiniões. Basta ver a quantidade de pessoas que endeusam Bolsonaro – recentemente recebi comentários absurdos defendendo-o em um post que fiz sobre ele por aqui. Infelizmente é a elite que está quebrando o país, que disseminam os discursos de ódio começados com pessoas como esse cara ai >.< e quem paga a conta são todas as futurar gerações (e infelizmente as atuais também).

  • Bárbara Nassar Em 25 . 10 . 2016

    Nossa, quando vejo coisas do enem eu penso, “ainda bem que já passei por isso”. Cara, era tanto stress. Achei demais a sua ideia de ajudar as pessoas.

    E meu deus, amei o seu layout <3

    Beijos, Love is Colorful

  • Samira Em 25 . 10 . 2016

    Ownt obrigada Bá! e ain, nem me fale é um alívio não ter que ficar aqueles 2 dias quase morrendo em cima da prova rsrsrs