Em voga

A crise dos 20 chegou – ansiedade, angústia e responsabilidade

08.01.18

A crise dos 20 chegou - ansiedade, angústia e responsabilidade por Samira Oliveira dezoitoemponto.comNo dia 14 de novembro de 2017 eu fiz minhas 20 primaveras. Primaveras apenas na poesia, pois dentro de mim era inverno profundo que nem mesmo a Elsa conseguiria resolver. Comecei esse dia com uma angústia e uma ansiedade que me são conhecidas até hoje, enquanto escrevo este post. A ansiedade por ter 20 anos e poucos amigos fieis ao meu redor – as vezes sinto que nenhum. A cobrança por ter 20 anos e não ter uma vida perfeita, não ter ainda meu próprio carro, minha casa própria – ou nem mesmo por pagar meu aluguel sozinha. A ansiedade também bate à porta quando faço as contas no final do mês. Quando sei cada dia mais, que será impossível viver da profissão que escolhi, que se eu quiser estudar a vida inteira como planejo, terei de fazer algum milagre com meus 90 centavos. A responsabilidade em ser dona da minha vida, dos meus discursos e das minhas diretrizes, a coragem para sustentá-las até o fim, afinal, não se pode ter 20 anos e não ter uma cabeça formada, perfeita e bem. Passei o ano todo esperando pelos 20, mas ao contrário dos 18 – que aliás nomeiam esse blog – os 20 não chegaram cheio de glória e champanhe. Foram um batalhão, 10 á minha direita e 10 à minha esquerda, e por pouco eles não cairam – pensando bem talvez seja pela minha fé que se esvai.

Fé em mim e em tudo o que eu acreditava. A cada dia mais vejo como o mundo é podre e como talvez seja insano lutar contra essa podridão. E é nessas horas que uma luz lá no fundinho me diz que ainda vale a pena. Na TV, celebridades de 22 anos já tem um patrimônio com o qual eu só posso sonhar, um casamento dos sonhos com direito a lua de mel em África do Sul. Tenho 20 mas a pressão para ter uma carteira assinada me é dita nos olhos de todos a cada dia, aquela voz que me diz sempre que acordo “você não tem um trabalho” é sufocante. E não adianta eu dizer que o blog é meu trabalho, afinal “o blog não paga suas contas” e é assim que até mesmo o meu maior prazer, blogar, é tirado de mim. As pessoas pedem que eu faça algo visando lucro, nunca lazer, nunca agir por paixão ou amor, sempre apenas pensando no futuro. E é esse pensamento que me esmaga como um chiclete jogado no meio da calçada.

E então até mesmo o Dezoito em Ponto me causa ansiedade e tristeza. É sempre eu me cobrando, dizendo que estou trabalhando menos, que preciso cumprir prazos, que preciso responder e-mails mais rápido. Sempre buscando a perfeição impossível, um trabalho impecável e desumano, tirando a alegria que esse trabalho representa para mim. E ai, olho para os lados e vejo alguém que tem tudo o que eu quero, tem a fama que eu busco, tem o reconhecimento que eu mereço, tem a exatidão e a perfeição do trabalho que eu tanto luto para ter. Sei que não adianta sonhar sem fazer, mas as vezes é impossível. A vontade de ficar na cama o dia todo, de apenas dormir, de apenas fechar os olhos e tentar sumir, é bem mais forte que eu. Sei que são problemas pequenos perto de tanto sofrimento no mundo, mas sei que se me deixar abater, eu serei apenas mais uma que teve oportunidade de fazer algo e não fez – por preguiça ou falta de coragem. As vezes eu quero apenas fazer a diferença, quero fazer um canal no YouTube para ficar mais próximas dos meus leitores e para explicar com exatidão tudo o que penso. Quero um novo olhar sobre a religião, quero oferecer meu ponto de vista sobre a sociedade, quero mais mulheres lutando contra o machismo e se empoderando, quero menos padrão de beleza, quero que todos os corpos tenham visibilidade e amor, quero poesia e literatura, arte e mais design, quero sorrisos, quero pontos de vista, quero equilíbrio.

Eu quero mudar, e eu sei que isso se parece muito com discurso político, o que não deixa de ser, quem não sonha com uma nova política? Eu por exemplo não canso de me desesperar e de me entristecer com esse cenário, será que isso também eu posso mudar? E ai a vem as costumeiras pressões sociais, que aliás já me enterraram fundo faz tempo e das quais eu tento renascer hoje em dia. Todo dia enquanto tomo banho faço planos, irei conhecer todas as youtubers e blogueiras que amo e vamos trabalhar juntas e ter uma amizade; irei publicar meu livro que será um enorme sucesso, terei dinheiro para comprar meu próprio apartamento e pagar minhas contas, poderei viajar o mundo criando conteúdo para vocês. Mas ai eu penso que não sei o caminho, que talvez seja sorte, pois trabalho árduo é o que não me faltaram nesses 2 anos de blog.

E nessa bad constante eu não consigo mais escrever, meu livro que é meu sonho está parado; meus contos e meus poemas: encharcados em desilusões. E meus textos aqui no blog? O que dizer até mesmo de meus textos cotidianos? Totalmente fraturados como um osso quebrado. Nisso tudo, minha carreira que eu estou plantando, vai ficando pra depois, meus prazos vão se acabando, as reuniões e entregas vão chegando e eu só quero me enterrar dentro de mim. Pois fui inútil na única tarefa que me foi destinada: ser eu.

Eu sei que essa versão de mim é detestável e quero logo sufocá-la. Eu de verdade, eu como quero mostrar a vocês e espalhar pelo mundo, tem fé, é grata, espalha amor e trata as pessoas com empatia. É essa pessoa que eu quero ser com vinte e poucos. E dane-se, aliás, se minha amiga de infância já tem um estágio dos sonhos com possibilidade grande de efetivação. Dane-se se meus amigos saíram juntos sexta a noite sem me convidar. Algum dia eu vou conquistar o meu mundo e, enquanto esse dia não chega, eu continuo tendo meus 20 anos.

Como aceitar seu corpo? Venci autoestima baixa, transtorno de imagem e bulimia
Como fazer a menstruação atrasada descer rápido.
Sobre términos de namoro e força feminina

:D :-) :( :o 8O :? 8) :lol: :x :P :oops: :cry: :evil: :twisted: :roll: :wink: :!: :?: :idea: :arrow: :| :mrgreen:
  • Clayci Em 08 . 01 . 2018

    Amiga, logo vc vai notar como essa crise foi necessária na sua vida. Não vou dizer que vivi, mas que vivo com o mesmo pensamento que vc. Enxergo o mundo de outra forma… isso se chama amadurecer e enxergar a vida real que INFELIZMENTE existe rs. Eu quero o mundo colorido que cresci imaginando, cheio de flores… Se bem que faço de tudo para essa visão infantil não mudar, sabe? Senão desisto de viver mesmo rs..
    Agora isso indo para as crise dos 30 SOCORRO

    Beijos e fique bem

  • Samira Em 08 . 01 . 2018

    Sim eu entendo, e gosto de amadurecer, acho isso muito importante. Mas ao mesmo tempo, é tanta cobrança e tanta coisa louca que chega em uma enxurrada sabe? Espero que até os 30 eu esteja bem como voce <3 beijão!