Em voga

Transar antes do casamento pode? O que a religião diz sobre isso e como você DEVE interpretar.

16.04.18

Eu sou proibida de me casar na Igreja, mais ainda, de me casar de branco.

É que eu sou impura.

Outro dia, ouvi uma amiga da idade da minha avó falando sobre virgindade e honra e quando eu tentei argumentar contra tudo aquilo. Ela me disse: “Então repete: eu não vou me casar pura” eu fiquei tão atônita que nem tive como responder. Naquela hora tantas coisas se passaram na minha cabeça… Primeiro: Por que eu preciso me guardar para um homem se ele não se guarda para mim?

E segunda:  Por que eu estarei impura apenas por sentir prazer? Então foi ai que eu entendi; eu estarei impura para o meu marido, porque o meu corpo não é meu, é dele. Porque o meu prazer não é meu, é dele. Porque toda a minha vida e todo o meu caráter  se resumem em meu hímen. Senão eu serei menos boa para ele, senão eu não serei uma boa esposa, eu terei tido outros homens e estarei “alargada” e ele vai sentir menos prazer. Porque sim, eu existo apenas para ele, minha vagina existe apenas para servi-lo e eu não posso discordar disso. E é uma revolução quando você percebe o porque dessa imposição religiosa, quando você entende que se trata de uma cultura e mais ainda quando você entende as raízes dela e que falas como essas da amiga da minha avo, são todas filhas do patriarcado.

E pra mim isso é até mais forte, porque eu sou católica. Sim, do tipo que vai à missa todo final de semana e tenta viver as coisas que nos são ensinadas na catequese. Eu lembro que quando comecei a namorar, lá com 15 anos, a questão da virgindade e do “se guardar” era muito forte para mim, e olha, com esse texto eu não quero ser desrespeitosa com ninguém que acredita, ou com o movimento “escolhi esperar”. Mas acho que esse texto vai fazer um bem danado pra quem sofre com essas questões como eu sofria e acredito mais que tudo que você precisa pensar por si mesma, sair fora da caixa, e tomar para si o controle da sua vida sexual. Porquê quando eu comecei a namorar cheguei a falar pra ele que eu planejava casar virgem, simplesmente porquê era isso que me foi ensinado. Na ocasião, com 15 anos a gente começou a pensar então qual o melhor momento para casar. Eu ainda teria mais 3 anos de escola e ele mais 2, ai depois mais 5 de faculdade e mais uns 6 para ele, e ainda levamos em conta que a gente precisava focar nos estudos, então a gente não ia casar antes de terminar a faculdade, e fora isso ainda tínhamos que levar em conta que precisávamos de um emprego para juntar dinheiro pra ai sim casar, fazer um puta festa  poder finalmente nos amarmos e ter um contato físico. Porém se você é um ser humano sexuado você sabe o que é se sentir atraído, e isso é mais forte que qualquer plano que você faça. Foi nessa época, nesse conflito entre o que foi incutido na minha cabeça pela sociedade e entre o que eu queria e sentia, que eu sofri. Como eu ainda não tinha essa liberdade de pensamento como tenho hoje, eu apenas rezei e pedi sabedoria e entendimento. E cara, eu sinto como cristã, até hoje, que tomei a decisão certa. Comecei a evoluir nessas questões, a entender que o sexo não deve ser demonizado, que ele foi feito por Deus, que é um momento de carinho, de prazer, algo mágico e sublime e que não deve ser inferiorizado sabe? Entendi que a mulher só é impedida de sentir prazer porque isso seria mais um poder que é essencialmente do homem, então é bom que ela seja recatada, que não goste de sexo (que diga não gostar) e que nunca sinta prazerE olha como as coisas são, uma religião cristã que uma conhecida participava, dizia que você deveria namorar apenas por 1 ano, e namorar assim, apenas uma pessoa, então se você encontrou alguém que parecia legal mas no fim era um baita macho escroto, você deveria continuar com ele. Após isso você era obrigada a casar, e assim foi. Acontece que pouco tempo depois, coisa de meses, ela se separou. E mais alguns meses depois já estava com outro. Agora te pergunto isso faz sentido? Então o separar é mais aceitável que transar com quem bem entender?

Isso é muito injusto, isso tudo é um desrespeito com o nosso corpo. A mulher e a virgindade dela são tão valorizadas e mostram tanto o “valor” da mulher ao ponto, uma menina usar absorvente interno ou coletor não pode, pois ela não vai mais ser virgem, e meu deus o que vai ser dela, perdeu a virgindade pra um coletor, ai o que o marido o que vai pensar? E meu, a sociedade faz esse alarde pra o que? Uma pele de poucos centímetros!

Isso tudo são construções da sociedade falocêntrica que diz “prende sua cabra que meu bode ta solto”, onde os pais levam seus filhos meninos pra um puteiro perder a virgindade e depois comemora com a família e amigos como se fosse um troféu. Enquanto isso a menina tá la, com a primeira menstruação e sem saber se é algo feliz ou triste, alguns fazem festa, a chamam de mulher e de mocinha e diz que ela deve agora se comportar, não brincar mais, se afastar dos meninos, sentar como uma mocinha e todas aquelas outras coisas. Em contrapartida, há outros que dizem que menstruar é motivo de vergonha, que você tem que esconder, não pode contar pra ninguém, não pode falar sobre isso. Ah e o clássico, em hipótese alguma você pode se tocar, se masturbar, enquanto pro menino, desde pequeno já é presenteado com uma playboy ou com um endereço de site porno. Isso gera mulheres que não conhecem o próprio corpo, mulheres que não se permitem sentir prazer e que talvez nunca na vida consigam ter um orgasmo, mulheres inseguras consigo mesmas principalmente com o corpo que tem que ser perfeito para o homem. E também gera homens que, educados no pornô veem a mulher como um simples buraco que é obrigado a gostar de uma meteção sem o minimo de preparo para ela. E nisso tudo a mulher é uma pecadora por querer prazer, é um mero objeto de desfrute, é a culpada de todos os males – e ironicamente é a única que não pode sentir ou reagir – afinal foi ela quem ficou impura, ela que permitiu um pau entrar dentro dela ou qualquer outra coisa fálica, e isso apenas isso, quantifica o valor dela. Depois disso ela não vale nada, ela pode ser chamada de “vadia” por qualquer um, afinal ela não se “guardou para o marido”.

Essa submissão da mulher pro homem não está certa e qualquer um pode ver. Você demonizar o sexo não tá certo. Impedir a mulher e a difamar por ser livre sexualmente não esta certo. E acho a maior hipocrisia do mundo você querer casar uma menina nova e inexperiente na vida, jogar filhos e obrigações em suas costas e ainda pedir que ela seja feliz. E maior hipocrisia você precisar casar nova, depois se separar e ai tudo bem né, e depois disso você estar livre pra pegar quem quiser, afinal você já ta “suja”. Eu vejo meninas novas se casando, abandonando estudos, se casando com 16 anos só pra poder ter o direito de transar, só pra ser bem vista por uma família conservadora. E sabe que o marido dela não teve a mesma obrigação, muitas vezes ele vai a um bordel ha anos mas exige que ela se resguarde pra ele. Quando eu era criança lembro e uma conversa que tive com umas amigas e uma dela disse que transaria depois do casamento “em respeito a mãe dela” ou seja, tirou totalmente o protagonismo do próprio corpo e o entregou à mãe. Já quando fui fazer crisma, na primeira confissão a gente  começou a se perguntar se transar, beijar varias pessoas ou se masturbar contava como pecado, e olha eu não confessei nenhum desses “pecados” justamente por não os considerar mais pecados. E é engraçado como a Igreja vê isso, é um tabu que ninguém quer resolver ou esclarecer ou “liberar” as mulheres dessas correntes, é algo embaixo dos panos mas que todo mundo sabe que não é mais válido, afinal um casal que se casa com uns 30 anos logicamente não é mais virgem, e todos sabem disso. Já ouvi de um amigo que foi confessar e falou que transou antes de casar, o padre perguntou se ele se arrependia e ele disse que não pois não via mal naquilo.

A gente ta muito acostumado a ver a figura da maça proibida e da serpente como elementos sexuais, mas cara não é nada disso…Você acha mesmo que Deus esta se importando se você tem ou não uma pelinha na pepeca? Te garanto que Ele está mais preocupado se você é uma pessoa, faz o bem, respeita o próximo do que se você transou antes de casar ou não. Aliás eu aposto que ele quer que você transe, que seja feliz, que desfrute do prazer e das coisas que ele deu em um corpo.

Da minha vó eu já ouvi “ta na bíblia que sexo é só pra procriar” e ai joguei pra ela, “olha você teve 2 filhas, você transou apenas duas vezes então?” e recebi um silencio como resposta. Também já ouvi “mas você vai transar com esse namorado, você tem certeza que ele será seu pra vida toda?” E eu não entendo qual a conexão, quer dizer que devo transar apenas com uma pessoa na minha vida? Caso contrario serei considerado uma puta? E sim, é isso mesmo que a tradição patriarcal prega.

Esse foi apenas alguns dos absurdos que já ouvi mas sei que existe coisa pior. Deixa aqui nos comentários o que você já ouviu da família conservadora ou ate mesmo de amigos conservadores, deixe também  sua opinião sobre sexo antes do casamento e como você lida com essas questões.

Peço apenas que você reflita por si mesma. Eu tenho certeza que você tem uma amiga que esta passando por isso, que é católica ou de outra religião e que tem esses conflitos internos, mande pra ela, quem sabe ela não se transforma e abre os olhos para toda essa cultura machista que temos e que tentamos aqui desconstruir. 

Beijos de luz.

Como aceitar seu corpo? Venci autoestima baixa, transtorno de imagem e bulimia
Gordofobia e Bullying na Infância (e na escola) – Eu tentei me matar. Mas não vão me calar.
Como fazer a menstruação atrasada descer rápido.

:D :-) :( :o 8O :? 8) :lol: :x :P :oops: :cry: :evil: :twisted: :roll: :wink: :!: :?: :idea: :arrow: :| :mrgreen: