Em voga Pessoal Textos

A melancolia dos dias úmidos e seus recomeços

09.10.18

Hoje foi aquele dia úmido e fresco, que carrega no vento uma sensação de aconchego, de novo e de recomeço. Não entende? Vou te explicar como me sinto. A calçada e as ruas estão molhadas, ando sobre elas com meus coturnos pretos e o vento úmido e feroz batendo no rosto. Vez ou outra ele se ameniza e vira brisa. Vez ou outra meus pensamentos se acalmam e viram breves ideias que nunca irão se realizar. A chuva deixa cada verde da mata mais bonito. E enquanto passo por uma sebe penso em florestas e em como gostaria de estar por ai desbravando alguma, viajando pelo mundo. Também penso em como sou grata por estar aqui, nessa cidade que nem sempre me acolhe e que antes me repele, mas pela qual sinto profunda admiração.

Por cada arvore e moita que passo, observo a folha e vejo em visão macro, cada intempérie que ela passou. Há manchinhas de alguma praga de plantas, há partes mordiscadinhas, há uma parte amarronzada que estraga – enquanto outra continua verde – e há também infinitos tons de verde. Penso em como queria usar essa visão em alguma cidade do Brasil, quem sabe achar uma Imobiliária em Balneário Camboriú  e ficar por lá, desbravando um verão que nunca se acabaria. Outras vezes penso em ir mais longe, em estar em Londres, ou talvez sofrer em frente à torre Eiffel as consequências de alguma romance mal resolvido entre mim e algum francês qualquer.

Nesses dias úmidos eu encho meus pulmões de ar fresco, eu deixo que o suspiro me renove e penso com um certo pesar e um certo desanimo na minha capacidade absurda de me render à rede de pescar ao invés de continuar nadando e de nada pra baixo. Olho ao redor e nesses dias meio melancólicos e aflitos me pergunto onde no meio do caos interior, escondo minha vontade de batalhar pelos meus sonhos. Queria ter a resiliência daquela folha verde que ficou lá atras e resistir, queria não me achar caída, pisada e quase morta. Invisível a todos que passam por mim, e sem forças ou vontade para deixar o vento me levar a outro cais.

Mas logo penso diferente, logo a garoa cai novamente e vai aos poucos, ensopando minha mente, transbordando pensamentos e os lavando de todo esse pessimismo. Ao chegar em casa já reservo uma praia em Balneário Camboriú, me matriculo em um aula de francês e troco meus coturnos por xadrez. Chega de melancolia barata, querida, chega.

Permita-me eu apresentar novamente, e me veja como mulher, não como uma irmã.
10 Melhores Poemas Eróticos – para curtir sozinha ou acompanhada.
A Nova Eva e a conspiração de Lilith – Ensaio Fotográfico

:D :-) :( :o 8O :? 8) :lol: :x :P :oops: :cry: :evil: :twisted: :roll: :wink: :!: :?: :idea: :arrow: :| :mrgreen: