Em voga

Transar antes do casamento pode? O que a religião diz sobre isso e como você DEVE interpretar.

16.04.18

Eu sou proibida de me casar na Igreja, mais ainda, de me casar de branco.

É que eu sou impura.

Outro dia, ouvi uma amiga da idade da minha avó falando sobre virgindade e honra e quando eu tentei argumentar contra tudo aquilo. Ela me disse: “Então repete: eu não vou me casar pura” eu fiquei tão atônita que nem tive como responder. Naquela hora tantas coisas se passaram na minha cabeça… Primeiro: Por que eu preciso me guardar para um homem se ele não se guarda para mim?

E segunda:  Por que eu estarei impura apenas por sentir prazer? Então foi ai que eu entendi; eu estarei impura para o meu marido, porque o meu corpo não é meu, é dele. Porque o meu prazer não é meu, é dele. Porque toda a minha vida e todo o meu caráter  se resumem em meu hímen. Senão eu serei menos boa para ele, senão eu não serei uma boa esposa, eu terei tido outros homens e estarei “alargada” e ele vai sentir menos prazer. Porque sim, eu existo apenas para ele, minha vagina existe apenas para servi-lo e eu não posso discordar disso. E é uma revolução quando você percebe o porque dessa imposição religiosa, quando você entende que se trata de uma cultura e mais ainda quando você entende as raízes dela e que falas como essas da amiga da minha avo, são todas filhas do patriarcado.

E pra mim isso é até mais forte, porque eu sou católica. Sim, do tipo que vai à missa todo final de semana e tenta viver as coisas que nos são ensinadas na catequese. Eu lembro que quando comecei a namorar, lá com 15 anos, a questão da virgindade e do “se guardar” era muito forte para mim, e olha, com esse texto eu não quero ser desrespeitosa com ninguém que acredita, ou com o movimento “escolhi esperar”. Mas acho que esse texto vai fazer um bem danado pra quem sofre com essas questões como eu sofria e acredito mais que tudo que você precisa pensar por si mesma, sair fora da caixa, e tomar para si o controle da sua vida sexual. Porquê quando eu comecei a namorar cheguei a falar pra ele que eu planejava casar virgem, simplesmente porquê era isso que me foi ensinado. Na ocasião, com 15 anos a gente começou a pensar então qual o melhor momento para casar. Eu ainda teria mais 3 anos de escola e ele mais 2, ai depois mais 5 de faculdade e mais uns 6 para ele, e ainda levamos em conta que a gente precisava focar nos estudos, então a gente não ia casar antes de terminar a faculdade, e fora isso ainda tínhamos que levar em conta que precisávamos de um emprego para juntar dinheiro pra ai sim casar, fazer um puta festa  poder finalmente nos amarmos e ter um contato físico. Porém se você é um ser humano sexuado você sabe o que é se sentir atraído, e isso é mais forte que qualquer plano que você faça. Foi nessa época, nesse conflito entre o que foi incutido na minha cabeça pela sociedade e entre o que eu queria e sentia, que eu sofri. Como eu ainda não tinha essa liberdade de pensamento como tenho hoje, eu apenas rezei e pedi sabedoria e entendimento. E cara, eu sinto como cristã, até hoje, que tomei a decisão certa. Comecei a evoluir nessas questões, a entender que o sexo não deve ser demonizado, que ele foi feito por Deus, que é um momento de carinho, de prazer, algo mágico e sublime e que não deve ser inferiorizado sabe? Entendi que a mulher só é impedida de sentir prazer porque isso seria mais um poder que é essencialmente do homem, então é bom que ela seja recatada, que não goste de sexo (que diga não gostar) e que nunca sinta prazer.

E olha como as coisas são, uma religião cristã que uma conhecida participava, dizia que você deveria namorar apenas por 1 ano, e namorar assim, apenas uma pessoa, então se você encontrou alguém que parecia legal mas no fim era um baita macho escroto, você deveria continuar com ele. Após isso você era obrigada a casar, e assim foi. Acontece que pouco tempo depois, coisa de meses, ela se separou. E mais alguns meses depois já estava com outro. Agora te pergunto isso faz sentido? Então o separar é mais aceitável que transar com quem bem entender?

Isso é muito injusto, isso tudo é um desrespeito com o nosso corpo. A mulher e a virgindade dela são tão valorizadas e mostram tanto o “valor” da mulher ao ponto, uma menina usar absorvente interno ou coletor não pode, pois ela não vai mais ser virgem, e meu deus o que vai ser dela, perdeu a virgindade pra um coletor, ai o que o marido o que vai pensar? E meu, a sociedade faz esse alarde pra o que? Uma pele de poucos centímetros!

Isso tudo são construções da sociedade falocêntrica que diz “prende sua cabra que meu bode ta solto”, onde os pais levam seus filhos meninos pra um puteiro perder a virgindade e depois comemora com a família e amigos como se fosse um troféu. Enquanto isso a menina tá la, com a primeira menstruação e sem saber se é algo feliz ou triste, alguns fazem festa, a chamam de mulher e de mocinha e diz que ela deve agora se comportar, não brincar mais, se afastar dos meninos, sentar como uma mocinha e todas aquelas outras coisas. Em contrapartida, há outros que dizem que menstruar é motivo de vergonha, que você tem que esconder, não pode contar pra ninguém, não pode falar sobre isso. Ah e o clássico, em hipótese alguma você pode se tocar, se masturbar, enquanto pro menino, desde pequeno já é presenteado com uma playboy ou com um endereço de site porno. Isso gera mulheres que não conhecem o próprio corpo, mulheres que não se permitem sentir prazer e que talvez nunca na vida consigam ter um orgasmo, mulheres inseguras consigo mesmas principalmente com o corpo que tem que ser perfeito para o homem. E também gera homens que, educados no pornô veem a mulher como um simples buraco que é obrigado a gostar de uma meteção sem o minimo de preparo para ela. E nisso tudo a mulher é uma pecadora por querer prazer, é um mero objeto de desfrute, é a culpada de todos os males – e ironicamente é a única que não pode sentir ou reagir – afinal foi ela quem ficou impura, ela que permitiu um pau entrar dentro dela ou qualquer outra coisa fálica, e isso apenas isso, quantifica o valor dela. Depois disso ela não vale nada, ela pode ser chamada de “vadia” por qualquer um, afinal ela não se “guardou para o marido”.

Essa submissão da mulher pro homem não está certa e qualquer um pode ver. Você demonizar o sexo não tá certo. Impedir a mulher e a difamar por ser livre sexualmente não esta certo. E acho a maior hipocrisia do mundo você querer casar uma menina nova e inexperiente na vida, jogar filhos e obrigações em suas costas e ainda pedir que ela seja feliz. E maior hipocrisia você precisar casar nova, depois se separar e ai tudo bem né, e depois disso você estar livre pra pegar quem quiser, afinal você já ta “suja”. Eu vejo meninas novas se casando, abandonando estudos, se casando com 16 anos só pra poder ter o direito de transar, só pra ser bem vista por uma família conservadora. E sabe que o marido dela não teve a mesma obrigação, muitas vezes ele vai a um bordel ha anos mas exige que ela se resguarde pra ele. Quando eu era criança lembro e uma conversa que tive com umas amigas e uma dela disse que transaria depois do casamento “em respeito a mãe dela” ou seja, tirou totalmente o protagonismo do próprio corpo e o entregou à mãe. Já quando fui fazer crisma, na primeira confissão a gente  começou a se perguntar se transar, beijar varias pessoas ou se masturbar contava como pecado, e olha eu não confessei nenhum desses “pecados” justamente por não os considerar mais pecados. E é engraçado como a Igreja vê isso, é um tabu que ninguém quer resolver ou esclarecer ou “liberar” as mulheres dessas correntes, é algo embaixo dos panos mas que todo mundo sabe que não é mais válido, afinal um casal que se casa com uns 30 anos logicamente não é mais virgem, e todos sabem disso. Já ouvi de um amigo que foi confessar e falou que transou antes de casar, o padre perguntou se ele se arrependia e ele disse que não pois não via mal naquilo.

A gente ta muito acostumado a ver a figura da maça proibida e da serpente como elementos sexuais, mas cara não é nada disso…Você acha mesmo que Deus esta se importando se você tem ou não uma pelinha na pepeca? Te garanto que Ele está mais preocupado se você é uma pessoa, faz o bem, respeita o próximo do que se você transou antes de casar ou não. Aliás eu aposto que ele quer que você transe, que seja feliz, que desfrute do prazer e das coisas que ele deu em um corpo.

Da minha vó eu já ouvi “ta na bíblia que sexo é só pra procriar” e ai joguei pra ela, “olha você teve 2 filhas, você transou apenas duas vezes então?” e recebi um silencio como resposta. Também já ouvi “mas você vai transar com esse namorado, você tem certeza que ele será seu pra vida toda?” E eu não entendo qual a conexão, quer dizer que devo transar apenas com uma pessoa na minha vida? Caso contrario serei considerado uma puta? E sim, é isso mesmo que a tradição patriarcal prega.

Esse foi apenas alguns dos absurdos que já ouvi mas sei que existe coisa pior. Deixa aqui nos comentários o que você já ouviu da família conservadora ou ate mesmo de amigos conservadores, deixe também  sua opinião sobre sexo antes do casamento e como você lida com essas questões.

Peço apenas que você reflita por si mesma. Eu tenho certeza que você tem uma amiga que esta passando por isso, que é católica ou de outra religião e que tem esses conflitos internos, mande pra ela, quem sabe ela não se transforma e abre os olhos para toda essa cultura machista que temos e que tentamos aqui desconstruir. 

Beijos de luz.

Guia Completo do Coletor Menstrual + Minha primeira vez usando o copinho
A crise dos 20 chegou – ansiedade, angústia e responsabilidade
Os Tempos Mudaram SIM, entenda o porquê
Literatura

Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books

21.03.18

Esse livro me salvou - Resenha A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books "A Guerra que salvou a minha vida" por Samira Oliveira dezoitoemponto.comA Guerra Que Me Ensinou a Viver de Kimberly Brubaker Bradley é aquele tipo de texto que você lê e se redime dos próprios pecados. É tão profundo, tão belo e tão sincero que chega a doer. O continuação – e pelo visto último livro – de A Guerra Que Salvou A Minha Vida volta com a história da jovem refugiada da Segunda Guerra Mundial, Ada, junto de sua guardiã Susan. Ela assume a guarda dela e de seu irmão depois da morte da mãe biológica de ambos. Fato que já instaura uma tensão que percorre o livro todo; isso porquê a mãe de Ada tratava os filhos com ódio e os maltratava, então no frigir dos ovos, a morte dela não foi – ou ao menos deveria – ser tão sentida aos filhos. Porém, assim como o amor deixa marcas, o ódio e a indiferença deixam cicatrizes mais imperceptíveis e enterradas em nosso âmago – tais cicatrizes deixam tudo mais difícil de digerir e de prosseguir. Mais ainda para uma criança.

É singular tratar da Segunda Guerra sob o olhar de uma criança não judia – como normalmente vemos nas obras. Acabamos sem querer nos esquecendo que todas as crianças sofreram, que seus pais lutaram na guerra, mães morreram nas fábricas e irmãos; parentes e amigos se dispersaram pelo mundo – ou pelo céu. Também não é comum vez retratado, crianças alemãs que, no entanto, eram judias. Sempre me perguntei como ficava a situação delas, como elas se sentiam com tudo isso e como eram recebidas nos outros países. Esse livro trata sobre todas essas questões. E é tão belo por ser todo narrado pela Ada, uma criança que passou a sua tão curta vida sendo cruelmente maltratada e trancafiada pela mãe; mas que consegue se salvar de seu cárcere justamente pela guerra. Que passa a aprender um porção de palavras novas todos os dias – e a nomear e entender cada um dos seus conflituosos sentimentos. Para uma linguista, isso é ainda mais mágico. Acho incrível quando a menina aprende uma palavra nova (e boa) mas a liga a um significado extremamente negativo que foi estabelecido por ela e pela situação em que ela se encontrava no momento em que ouviu tal palavra. Ada não entende o significado da palavra “mãe” e associa essa palavra à coisas negativas – porquê sua mãe era perversa. Por vezes ela não aceita o amor pois acha que ele machuca; não admite para si o medo que sente – pois acredita que se tiver medo, será espancada.Esse livro me salvou - Resenha A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books "A Guerra que salvou a minha vida" por Samira Oliveira dezoitoemponto.com

Leia mais

Inteligências Artificiais terão controle sobre vidas humanas?
Leia livros online DE GRAÇA! Conheça o Wattpad + 10 livros imperdíveis!
Resenha Fera – É o amor que nos salva e nos faz evoluir.
Literatura

Inteligências Artificiais terão controle sobre vidas humanas?

19.03.18

Inteligências Artificiais terão controle sobre vidas humanas? Resenha de "Felicidade para Humanos" de P.Z. Reizin, em pré venda, escrito por Samira Oliveira dezoitoemponto.comFelicidade para Humanos é um livro editado pela Record e que tive o prazer de ler antes que fosse lançado. Ele  é um mix de comédia romântica com ficção científica e aborda as inteligências artificiais (AI) e o possível controle que elas podem ter da vida humana. Isso me lembrou muito do filme Her – que eu fiquei totalmente espantada e meu cérebro deu um giro (filmes com tiquinho de terror psicológico são meu amor). Esse livro conta a história de Adam – um programa de computador que parece ser tão comum quanto a voz que sai do Google Tradutor depois que digitamos algo, mas Adam é diferente, ele conseguiu de alguma forma de auto consciência, e – pior – escapou para a internet. Essa obra é uma tem muito humor mas também conta com bastante reflexão.Inteligências Artificiais terão controle sobre vidas humanas? Resenha de "Felicidade para Humanos" de P.Z. Reizin, em pré venda, escrito por Samira Oliveira dezoitoemponto.comAo conseguir escapar para a internet, essa super inteligência – capaz de ler todas as obras e história da humanidade em segundos – tem um desejo peculiar para alguém que detém tanto poder: ele quer apenas ficar perto de sua pessoa favorita, a Jen. Uma humana que está sendo paga para conversar com ele e assim, ajudá-lo a desenvolver suas capacidades de comunicação com humanos. Jen logicamente ignora o fato de que Adam é quase uma pessoa, uma consciência própria, e não apenas uma voz que segue comandos metódicos e infinitos zeros e uns. A humana preferida acaba de sair escorraçada de um relacionamento duradouro, e Adam está determinado a virar seu protetor, vingador e grande amigo. Enquanto todos esperam que ele use sua inteligência para quebrar a economia, desenvolver bombas atômicas e extinguir a raça humana, ele só quer mesmo sentir o sol na “pele” e “comer” uma fatia de queijo Brie.

Leia mais

Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Leia livros online DE GRAÇA! Conheça o Wattpad + 10 livros imperdíveis!
Resenha Fera – É o amor que nos salva e nos faz evoluir.
Em voga

Guia Completo do Coletor Menstrual + Minha primeira vez usando o copinho

06.03.18

Créditos: Jardim do Mundo

Quer saber como colocar o coletor menstrual? Quer descobrir como é a primeira vez usando o coletor, as tantas dobras do copinho, qual marca comprar e entre tantas outras informações essenciais? Esse post foi feito pra ti. Ele foi escrito e reunido pela Mari David <3 E complementa um vídeo que postei no YouTube com tudo o que nunca te contaram sobre o coletor menstrual – tá divertido e bem legal, espero que goste!

O QUE É
Um coletor menstrual é um copinho feito de material plástico (silicone ou TPE) cirúrgico que é inserido dentro do canal vaginal e coleta seu sangue. Ele não é descartável e pode ser usado por até 10 anos, o que protege nosso meio ambiente de um monte de lixo e gasto de produção.
Pode ser usado por até 12h. Dependendo do seu fluxo, será necessário esvaziar e recolocar em menos tempo.

Tem alguma restrição de uso?
Não. Toda mulher pode usar se quiser.

Guia Completo do Coletor Menstrual + Minha primeira vez usando o copinho por Samira Oliveira dezoitoemponto.comCOLETOR vs. ABSORVENTE INTERNO
O principal, é que ele não absorve o sangue, logo, também não absorve os fluidos vaginais, o que diminui absolutamente o desconforto causado pelo absorvente interno. 
Como são materiais cirúrgicos, também são totalmente hipoalergênicos.
Ainda não houve ocorrências da SCT (Síndrome do Choque Tóxico) com uso de coletores pelo período de até 12h – existem boatos de UMA ocorrência com uso maior do que por 24h – desde que ele foi inventado, na década de 1930.
O coletor é vegano, livre de agrotóxicos e livre de químicos que alteram o seu fluxo menstrual – ao contrário dos absorventes industrializados. 
E pra completar, eles coletam em média 15ml de sangue, enquanto um absorvente comum coleta 5ml. Já dá pra estimar que ele deve segurar seu fluxo por 3x mais do que o seu absorvente.Guia Completo do Coletor Menstrual + Minha primeira vez usando o copinho por Samira Oliveira dezoitoemponto.com– Essa tabelinha da Inciclo também ajuda. (mas podem ignorar a recomendação de troca a cada 2 ou 3 anos, ela só tá aí porque uma cliente que volta a cada dois anos é bem melhor do que uma cliente que volta a cada 5 a 10 anos, né?)

EXISTE ISSO NO BRASIL?
Sim! Existem duas marcas brasileiras: Inciclo e Fleurity. O coletor da Inciclo pode ser encontrado em lojas físicas de produtos hipoalergênicos ou produtos naturais, além de com revendedoras. Ambos estão disponíveis na internet.
Outras marcas estrangeiras podem ser compradas pela internet ou via revendedoras.
PS.: Sempre bom dar preferência pras mulheres que estão revendendo produtos de qualidade e se emancipando financeiramente, né?



Leia mais

Transar antes do casamento pode? O que a religião diz sobre isso e como você DEVE interpretar.
A crise dos 20 chegou – ansiedade, angústia e responsabilidade
Os Tempos Mudaram SIM, entenda o porquê
Pessoal Textos

Este não é apenas mais um texto motivacional

21.02.18

Isso mesmo que você leu, este não é apenas mais um texto motivacional, este é um texto que busca mostrar o que você está deixando passar. As oportunidades que você quer e não alcança; a realização que você procura mas não vê, o seu potencial – que há tanto tempo carrega – mas que adormeceu dentro de você.

Talvez essa seja alguma espécie de carta para a minha futura eu. Talvez seja apenas um desabafo dirigido para mim – e que por algum motivo também serve para você. Acontece que esses dias, na aula de inglês, enquanto conversávamos treinando o idioma, falamos um pouco sobre sonhos; sobre sonhos que temos hoje e que poderiam ser realizados se fizéssemos algo, sobre sonhos que temos e que podem ser realizados no futuro se tivermos coragem de continuar. Eu gostaria de dizer que vai ser fácil, que o caminho é todo limpo e que sua respiração será calma durante todo o trajeto. Gostaria de dizer que uma editora vai cair dos céus para publicar seu livro; que aquela oportunidade de emprego vai surgir da porta, que tudo o que você precisa para fazer aquela tão sonhada viagem é apenas uma impulso de coragem. Mas não, infelizmente eu não posso te assegurar disso tudo. Posso apenas dizer, que eu sei; que você passará noites acordado tentando em vão melhorar cada detalhe do seu texto – e que vai tremer a cada botão “enviar” que você clicar. Que você passará dias tentando um emprego, que terá que estudar mais, se dedicar mais, ficar até mais tarde no trabalho, para talvez conseguir a promoção tão sonhada, ou o cargo tão desejado. Eu sei, você vai ter que jantar muito pão com mortadela para economizar dinheiro, vai abrir mão de saídas nos finais de semana, vai respirar fundo e se convencer de que não precisa de uma roupa nova; vai pela primeira vez admitir, que você não precisa gastar tanto, tudo para conseguir juntar dinheiro e viajar.

Mas hoje, eu queria dizer para você e para mim. Queria mostrar que muitas das suas limitações não são reais – são apenas fruto da sua mente. Queria que você entendesse que há uma grande energia cercando todas as suas ações, e que o sucesso lá da frente precisa de um primeiro passo aqui atrás – o universo espera que você comece a andar, espera um movimento vindo de você. Eu sei que você compara seu trabalho com o de outro alguém. Sei que pensa que nunca chegará aonde ele chegou. Sei que chega até a sentir inveja e mágoa, e a pensar se um dia conseguirá ultrapassar os números desse alguém. Você já ouviu tantos “nãos”, não é mesmo? Já te jogaram na cara que você não conseguirá, já te incitaram a não continuar, já conseguiram te fazer desistir. Mas hoje, hoje eu queria apenas que você não desistisse e que desse o primeiro passo. Queria que você colocasse essa energia transformadora para funcionar, queria que você fizesse as engrenagens da vida funcionar, e tudo se movimentar, toda essa energia então focada na sua única vontade: a de vencer.

O caminho sempre vai ser longo, vai parecer impossível. Seu trabalho vai parecer inferior. Seus seguidores e apoiadores podem sumir de um dia para o outro. Seu castelo tão bem construído, pode ter fracas fundações, e cair num bater da brisa. Talvez você tenha que errar uma, duas, três, infintas vezes! Talvez, você tenha que cair, tenha que cortar a grama do seu caminho, tenha que parar para recarregar as energias para a batalha. Talvez você queria – não poucas vezes – se enfiar num quarto escuro até toda a dor passar. Talvez você queria apenas calar a boca de todas as pessoas que resmungaram “nãos” e que espalharam desesperança quando você precisava apenas de um sorriso.

E no final, se você conseguir se manter forte, tenha a certeza: você vai vencer. Pode ser que o seu sonho seja maior que você. Confie, faça, acredite, realize.

Pode ser que seu sonho seja quase impossível. Movimente-se, caminhe, levante-se, consiga!

Talvez seu sonho seja maior do que todo o universo, seja maior que toda a humanidade, seja tão grande quanto o seu coração. Caminhe, erre, refaça, retente, e chegue mais forte até o final.

O hoje pode ser o dia que você vai começar a caminhar, pode ser o dia em que você comprou o caderno e a caneta que assinarão sua vitória lá na frente. Talvez hoje, seja aquele tão esperado dia, aquele tão inspirado dia, que você vai finalmente recomeçar – mais forte, mais ágil, mais confiante. Porque se você tem toda essa capacidade de sonhar, você tem a competência para fazê-lo real. Hoje pode ser finalmente, o dia em que você mudará a sua vida. Basta acreditar e voltar à andar. Você ainda tem um vasto caminho para trilhar – mas veja lá, olhe no horizonte, tem um futuro te esperando para te abraçar.

Há algumas semanas eu tenho me sentido diferente, não apenas pelas tantas mudanças que reconheço dentro de mim, mas também pela parte mais dolorosa da evolução. Não sei o quanto vocês acreditam nisso, mas eu acredito em Deus e no Universo. Tive vários sonhos nítidos, alguém até meio premonitórios, outros que me ligavam mais a minha essência. E sabe, me sinto leve e grata por voltar a sentir essas conexões com o sagrado, comigo e com a força que move o mundo. Há quem diga que essas semanas foram de “gestação” de uma nova fase que começa dia 31, amanhã, quando tem alguns eventos cósmicos diferentes. Assim como acredito nisso, acredito na minha fé, em Jesus, meu amigo e com quem tenho tantas conversas. Amanhã, farei um exame de consciência do passado e planejarei com mais afinco o futuro, quero acreditar que meu esforço e dedicação nunca serão em vão. Quero e sinto, uma estranha certeza de que meus sonhos vão se realizar. É por essa certeza em minhas entranhas, que não deixo de sonhar. Fé é algo lindo, único e inexplicável. É transcendente e transformador, mesmo que a sua fé seja apenas no dia de hoje; ou na lua, ou no ser humano. 🌹Leu até aqui? Me conta sobre a sua fé, no que você acredita?

Uma publicação compartilhada por SAMIRA OLIVEIRA (@samira_omg) em

Animal terrestre e animal de céu
Lembranças do “quartinho do fundão”| Um texto sobre desatulhamento
Ecdise – Conto de Samira Oliveira +18
Página 1 de 29
12345... 29››