Posts da categoria "Literatura"
Literatura

Para Educar Crianças Feministas – Um Manifesto | Chimamanda Ngozi Adichie

19.09.17

Para Educar Crianças Feministas é da autora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. Eu estou até agora impactada com este livro e tenho certeza de que será uma obra que eu levarei para a vida toda – literalmente, onde eu estiver, No Brasil ou na Turquia, esse livro vai comigo! Se um dia eu tiver um filho então, esse livro será exatamente meu manual. Ele é bem curtinho e pequeno e com uma escrita fluída e muito boa em formato de carta. Isso porquê a amiga de Chimamanda, a Ijeawele lhe pede orientação para criar sua filha, Chizalum Adaora, como feminista. Assim, com 15 sugestões para a criação, a autora trata desde as questões mais difundidas do feminismo até as mais específica, e digamos, novas. Eu li com tanto afinco que até me esqueci de marcar as partes que mais me fizeram refletir – algumas inclusive que eu gostaria de apresentar a vocês – por isso estou lendo o livro mais uma vez, na tentativa de colher as questões principais.

Algumas coisas nunca tinham passado pela minha cabeça, e esse livro me fez repensá-las. Uma das muitas questões é o fato de a mulher “esperar” que o homem a peça em casamento e não ter nunca o direito de tomar a iniciativa e fazê-lo. Segundo a autora, o ato de “pedir” em casamento carrega todo o poder da relação, pois antes que a mulher possa decidir se aceita ou não – e isso pode ser considerado um grande ato de poder (ironia tá) por algumas pessoas – o pedido precisa ser feito, certo? Chimamanda completa: “desejo de coração a Chizalum um mundo em que qualquer uma das duas pessoas possa pedir, em que uma relação se torne tão confortável e repleta de alegria, que a própria ideia de se casar seja motivo de conversa, ela mesma repleta de alegria.”

Leia mais

O Diário de Myriam – Um relato fiel e puro da Guerra na Siria| Resenha DarkSide Books
Jack O Estripador – Rastro de Sangue | protofeminismo na Londres Vitoriana, suspense e cadáveres
Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Literatura

Quando Eu Era Invisível – Martin Pistorius | Superação e amor formam seu caminho.

18.09.17
Livro: Quando Eu Era Invisível
Série:
Autor(a): Martin Pistorius
Editora: Astral Cultural
Genero: Autobiografia
Páginas: 270
Classificacao:
Sinopse: Até aos 12 anos, Martin Pistorius era um menino igual aos outros, feliz e saudável. Ninguém nunca imaginaria que um dia ele fosse adoecer gravemente e que, em pouco tempo, pararia de andar e falar. Para os médicos, Martin tinha entrado em estado vegetativo. Porém, lentamente, Martin começou a recuperar a consciência e a perceber tudo o que acontecia ao seu redor. Preso em seu próprio corpo, ele era incapaz de mostrar isso para a sua família e àqueles que cuidavam dele. Depois de 12 anos de encarceramento, Martin conheceu Virna, uma terapeuta que viu além do corpo preso a uma cadeira de rodas e que apenas movia os olhos. Ela conseguiu enxergar um ser humano na plena posse das suas faculdades mentais. Este foi apenas o princípio de um extraordinário renascimento e o primeiro impulso para que Martin despertasse, gradualmente, para a vida. De um menino que dependia completamente dos outros, Martin Pistorius transformou-se em um homem independente, que se formou na faculdade, conseguiu um emprego e casou com o amor da sua vida. A vida de Martin é uma surpreendente história real de superação que vai mexer com todas as suas emoções. Você vai torcer, chorar e reconhecer nele uma inspiradora força de vontade para realizar o impossível.

Quando Eu Era Invisível é uma autobiografia escrita por Martin Pistorius e publicada no Brasil pela Editora Astral Cultural. Essa resenha acabou demorando um pouquinho porque tive vários livros da faculdade para ler – perdoem a mim e a essa minha vida dupla. Essa obra pode ser definida em uma palavra: superação. Não, não, não, na verdade duas: superação e amor. E por ter dois ingredientes tão sinceros, ele nos emociona muito. Acho interessante as diferentes formas com que uma obra toca o leitor, tanto que, o que me toca talvez não será o mesmo que falará em você. Mas mesmo assim, resolvo arriscar, e afirmar o sentimento do livro.

Leia mais

O Diário de Myriam – Um relato fiel e puro da Guerra na Siria| Resenha DarkSide Books
Jack O Estripador – Rastro de Sangue | protofeminismo na Londres Vitoriana, suspense e cadáveres
Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Literatura

Desvende Meu Estilo| Um livro para quem gosta de moda e para quem ainda não conhece seu próprio estilo.

13.09.17

Desvende Meu Estilo é editado pela Belas Letras e escrito por Dominic Evans. Dom&Ink é ilustrador e mora em Manchester, na Inglaterra. Seu primeiro livro “Desvende Meu Coração” também é interativo e publicado pela mesma editora.

Se você gosta daqueles livros interativos – que começou com”Destrua Este Diário” – esse livro é pra você! Com muito humor e ousadia, você se sente como que conversando com um amigo (versado no vale dos unicórnios) e que entende tudo sobre moda. Ele nos incita a colorir as ilustrações, preencher as lacunas, escrever, recortar, colar, pintar e bordar! Amei as partes em que o leitor pode anotar coisas úteis, como por exemplo as coisas que “queremos comprar” e o que “precisamos comprar”Leia mais

O Diário de Myriam – Um relato fiel e puro da Guerra na Siria| Resenha DarkSide Books
Jack O Estripador – Rastro de Sangue | protofeminismo na Londres Vitoriana, suspense e cadáveres
Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Literatura

Amor à Moda Antiga – Fabrício Carpinejar | Livro de Poemas

11.09.17

Amor à Moda Antiga é editado pela Belas Letras e reúne poemas amorosos do escritor Fabrício Carpinejar. Todos escritos em uma máquina de escrever verde esmeralda (minha cor favorita, também quero uma!) Olivetti Lettera 82. Seus escritos foram publicados sem nenhuma alteração, mantendo até mesmo as anotações do autor – sem retoques ou correções. Carpinejar escreveu esta coletânea em seu apartamento no bairro Petrópolis – Porto Alegre, entre a primavera de 2015 e o verão de 2016.

Se o poeta se aliou ao homem de carne e osso, então essa obra é pós relacionamento. Nem para tanto, se a realidade não for essa na vida do homem, pode o ser na vida do poeta – certo? A maioria dos poemas carregam um sentimentalismo de quem se esforça para esquecer um amor. Como se pegasse do fundo do peito o sentimento, somasse a um pouco de lágrimas e produzisse esses poemas. Mas também senti um tom de saudade e de paixão; ao ler alguns poemas mais cinematográficos, imaginei casinhas de madeira no campo, arvores floridas e café quente. Este é um dos meus preferidos:

Leia mais

O Diário de Myriam – Um relato fiel e puro da Guerra na Siria| Resenha DarkSide Books
Jack O Estripador – Rastro de Sangue | protofeminismo na Londres Vitoriana, suspense e cadáveres
Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Literatura

Resenha “Esqueça o Amanhã” – Pintip Dunn | Galera Record

07.08.17

Livro: Esqueça o Amanhã
Série: Forget Tommorow Series
Autor(a): Pintip Dunn
Editora: Galera Record
Genero: Distopia YA
Páginas: 383
Classificacao:
Sinopse: Em uma sociedade onde jovens recebem uma visão de seu futuro quando completam 17 anos, todos têm uma carreira a qual dedicar seus esforços. Um campeão de natação, um renomado cientista, um chef de sucesso… ou, no caso de Callie, uma assassina. Em sua visão, a garota se vê matando a própria irmã. Antes que ela possa entender o que aconteceu, Callie é presa – e a única pessoa capaz de ajudá-la é Logan, uma paixonite de infância com quem não fala há cinco anos. Agora, Callie precisa descobrir uma forma de proteger sua irmã da pior das ameaças: ela mesma.

Esqueça o Amanha - Pintip Dunn | Galera Record Resenha por Samira Oliveira DEZOITOEMPONTO.COM

Antes de mais nada, eu preciso te explicar com o máximo de clareza, minha história com esse livro. Desde que o escolhi entre os lançamentos da Galera Record, tive a sensação de ele seria um Young Adult muito bom – mas não me preparei para o baque que seria lê-lo. Em meio a tantos outros livros que eu recebi, “Esqueça o Amanhã” me chamava – não pela capa, ou pela sinopse, mas talvez pelo próprio Destino – assim, essa obra acabou passando na frente de tantas outras que eu queria muito ler. E eu me deixei levar, completamente hipnotizada. E ao final dessa resenha, espero que você também sinta na base da coluna, a incontornável necessidade de lê-lo.

Eu evito ler no carro porque me causa muita vertigem, mas dessa vez não consegui evitar, e passei mais de 2 horas – viajando de Piracicaba até São Paulo – sem conseguir levantar os olhos, um segundo que fosse, do livro. Mais tarde tive de me obrigar a largar as páginas, quando olhei para o relógio e as horas já avançavam na madrugada – detalhe: eu tinha aula cedo no outro dia. Enfim, umas 6 horas depois, cá estou eu, querendo que Pintip Dunn se materialize na minha frente para que eu possa abraça-la e falar o quão impressionante é essa distopia.

Para mim é bem claro que a narração dos livros da Galera são bem fluídas e leves, mesmo porque estamos falando  essencialmente de livros para adolescentes – ou se você preferir: YA. Mas narrações magnéticas – que te prendem como um ímã – essa é uma qualidade que nem todos os YAs compactuam. “Esqueça o Amanha” se passa em uma sociedade construída após um Boom Tecnológico – na cidade de Eden City – que fez com que vários mistérios e perguntas que nos fazemos diariamente, fossem solucionados de maneira aparentemente simplista. Você já teve aquela vontade absurda de querer saber o futuro? Já passou pela sua cabeça, algo como: “Se eu soubesse que tudo resultaria nisso teria ficado mais tranquilo”? Nunca quis ver onde toda a sua estrada acabaria? Bem… nesse mundo isso é possível, na verdade tudo gira em torno da sua memória do futuro, que você receberá ao completar 17 anos de idade.

E é exatamente isso o que Callie mais deseja – isso ou a proteção máxima de sua irmã de 6 anos, Jessa. Neste mundo, o futuro é regra e o Destino é seu deus. As pessoas não fazem comida manualmente e são agrupadas na escola de acordo com sua data de nascimento – essa data é tão importante que passa a ser o seu nome real (ao menos para as autoridades) – e tudo é vivido em prol da sua visão do futuro. Após recebê-la você só tem uma opção: viver sem a possibilidade de um Plano B, completamente à mercê do Destino. O que Callie mais deseja é que sua visão seja de uma grande Cozinheira Manual – algo raro e que apenas as pessoas mais ricas podem bancar (em sofisticados restaurantes), espera que sua paixonite de infância Logan talvez tenha algum lugar nisso tudo. Mas o que ela realmente recebe no dia do seu aniversário, naquele que deveria ser o dia mais feliz da sua existência neste espaço-tempo, é a resposta: ela é uma assassina. E pior: da sua irmãzinha Jesse.

Leia mais

O Diário de Myriam – Um relato fiel e puro da Guerra na Siria| Resenha DarkSide Books
Jack O Estripador – Rastro de Sangue | protofeminismo na Londres Vitoriana, suspense e cadáveres
Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Página 4 de 8
12345678