Pessoal Textos

Porque escolhi ser professora.

16.10.16
Porque escolhi ser professora. Post agradecimento aos meus professores, letras usp

Quem me conhece e sabe pelo menos um cadinho da minha vida, sabe também que minha maior motivação em ir às aulas (além de passar na Fuvest) sempre foi pelos professores. Acredito que devo muita gratidão à escola onde estudei a vida inteira, por ter me possibilitado conhecer as pessoas lindas que foram os meus professores (e os funcionários aos quais tenho imensa admiração♥)

Desde que descobri que eu poderia – pro resto da vida – estudar o que eu amava, língua portuguesa, já tratei de descobrir afinal que curso seria esse. E então, quando finalmente soube que era Letras o que eu gostaria de fazer; que era ensinar a minha vocação, quando eu finalmente contei a todos que eu queria ser professora veio inevitavelmente uma nuvem pesada sobre a minha cabeça. Surgiram familiares – até os professores – me dizendo para escolher outra profissão, uma que fosse mais reconhecida, que ganhasse melhor, que eu não precisasse ter tanta paciência (algo que de fato, não tenho muito) e que eu não tivesse que, em algum momento, pensar seriamente em desistir.

Sei das partes tristes pelo que minha tia que é professora me conta, sei por alguns amigos que me relatam e pelas coisas que volta e meia ouvimos na TV. Porém, o que eles não sabem é que eu quero ser professora desde criança, quando colocava minhas cachorrinhas sentadas nas cadeiras – de frente pra lousa – e “ensinava” português e o pouco de matemática que eu sabia. Eles nunca entenderão o que é você se espelhar inteiramente em alguém, por sentir que essa pessoa trabalha como se o que ela faz, nunca fosse chato ou difícil. Por todos os professores que passaram na minha vida – desde o infantil 3 até hoje – por todos que mostraram um trabalho tão incrível e um amor tão verdadeiro pelo que faziam, que nenhuma ofensa iria os atingir, é por vocês que eu escolhi a minha profissão. Acredito que os admiro principalmente por isso, pela coragem de enfrentar pessoas que muitas vezes, pensam que são os donos da razão e que sabem muito – mas sempre esquecem que o mestre está lá na frente, ensinando. Acredito que quero seguir essa carreira, não apenas por alguma espécie de dom – visto que eu tremo que nem uma vara falando em público – mas por aquela energia que  sempre demonstraram ao ensinar. Pela determinação e vontade de explicar quantas vezes fossem possíveis até que entendêssemos. Pelo carinho demonstrado pelos alunos e pela profissão. Pelo sonho e determinação de mudar – um pouquinho de cada vez, aluno por aluno – o mundo.

Lembro-me até hoje de um professor de matemática me explicando o mesmo trajeto da fórmula, quantas vezes fossem necessárias até que eu soubesse fazer sozinha. De uma professora de literatura que se emocionava enquanto escrevia. De um mestre que nos ensinava um pouco de tudo o que sabia e tentava ser além de nosso professor, nosso psicólogo, nosso amigo, nosso colega de sala… Lembro de outra mestra que acordava os alunos cantando e andava pela sala  conversando animadamente com a gente. Na verdade, as melhores lembranças que tenho da minha vida escolar – e bom, da minha vida como um todo – são inteirinha deles. Porque enquanto eles davam aula eu me espelhava, enquanto eles explicavam eu me inspirava e anotava mentalmente cada característica que eu mais gostava em cada um – na esperança de lá na frente, poder ser um pouquinho de cada. Na verdade, eu acredito que sou um pouquinho de cada e que quando, de fato, for professora, terei-os sempre comigo em cada aula, em cada prova, em cada fala, em cara sorriso.

Por isso tudo, eu queria ontem – pois sou atrasada – e hoje e sempre, agradecer pessoalmente cada um. Como isso não é possível queria apenas dizer um muito obrigada. Queria também pedir para que jamais desistam, tem alguém se inspirando em vocês. Que vocês sempre se lembrem o que representam na vida de nós – alunos – que nunca se esqueçam que vamos lembrar de vocês pro resto de nossas vidas. Queria apenas pedir: continuem mudando o mundo. Essa é a única forma de realmente evoluirmos em algo, a única maneira de voltar a acreditar no ser humano é pela educação.

Animal terrestre e animal de céu
Lembranças do “quartinho do fundão”| Um texto sobre desatulhamento
Ecdise – Conto de Samira Oliveira +18
Fotografia

Photoshoot Valente – Merida

25.09.16
Mas chega um dia em que eu não preciso ser uma princesa, sem regras, sem expectativas. Um dia onde tudo pode acontecer. Um dia em que eu posso mudar o meu destino.
Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira

Dizem que nosso destino está ligado a nossa terra, que ela é parte de nós assim como nós somos dela. Outros dizem que o destino é costurado como um tecido, onde a vida de um determina a de muitos outros. É a única coisa que buscamos, ou que lutamos para mudar, alguns nunca encontram o destino, mas outros são levados a ele.

A princesa Merida está entre as princesas que eu mais gosto, principalmente nessa minha nova fase de iluminação do pensamento. Gosto dela pela coragem em ir contra o que lhe era imposto – contra o que a tradição determinava. Pela conexão tão bonita entre ela e mãe – e não como nos outros filmes de princesas em que o foco era no príncipe encantado. E principalmente, me apaixono mais ainda pela história, por retratar alguém tão forte e determinada, tão autossuficiente e empoderada e que não se deixa influenciar pelos outros. Sobretudo pela coragem em lutar pelo que acredita, eu me vejo na Valente – e não teria melhor princesa que representasse tão bem em quem o destino me transformou.

As fotos foram feitas pelo fotógrafo Bruno Rossener (Instagram) no Parque da Água Branca, em São Paulo. Na verdade eu nunca havia feito um ensaio fotográfico assim – muito menos temático. Por isso eu confesso que estava meio tensa – o que quase não dá pra perceber pela quantidade de gargalhadas por minuto que eu dou – mas o Bruno é um ser humano tão incrível que deixou tudo fácil e divertido. Ele é muito fofo e simpático, do tipo que a gente se sente confortável e quer ficar conversando e tirando fotos o dia todo! A única parte difícil foi fazer cara de tédio, com o Bruno e meu amigo-assistente-segurador de bolsas-Gabriel, tornavam isso meio complicado hahaha. Esse ensaio foi um presente adiantado de aniversário, onde eu pude me ver e gostar do que eu via; onde eu não precisei julgar a mim mesma, onde eu pude me redescobrir e ser quem eu quero ser.

As coisas que mais gostei em fazer esse ensaio com o Bruno é o modo que ele trabalha com as luzes nas fotos e o jeito mágico dele em fazer a gente se sentir leve, espontânea, confortável e principalmente: conseguir captar aquele ângulo certo, aquela essência, aquela personalidade que é própria de cada um. Ele consegue registrar aquilo que você é, sem barreiras ou máscaras, ele nos mostra o que verdadeiramente somos. Esse ensaio foi muito importante para mim, por me aproximar da Merida – uma personagem que eu gosto tanto – e por imprimir nas fotos tudo o que eu sou e a mulher em que eu me tornei. Além disso, esse ensaio surgiu na hora certa, no momento em que eu mais precisava voltar a me achar bonita – as fotos me fizeram ter uma imagem diferente de mim e a perceber coisas que eu não gostava em mim e que agora gosto, a ressaltar mais ainda o modo como eu me vejo. Pude experimentar a sensação de me amar, e amar cada “defeito” meu, pois eles fazem parte do que eu sou.

O vestido ficou por conta da Thaís Fantasias de Piracicaba. A Fernanda é um amorzinho e abraçou essa ideia adorando tudo! As peças deles são muito bem trabalhadas e lindas. Faz bastante tempo que conheço a loja e sempre que preciso alugo as peças deles. Porém, como não tinha meu tamanho no vestido da Merida, nós ficamos com o da Fiona e minha avó e minha vizinha fizeram alguns pequenos ajustes – acrescentando detalhes costurados à mão, para que o vestido ficasse mais a cara da Valente. Elas também fizeram o cinto e o bolsinho para as flechas. O arco foi feito pelo meu namorado Eduardo e meu sogro; eles usaram cano de PVC (tutorial) (tutorial) e depois eu finalizei pintando com tinta spray (pintando o banheiro também, desculpa Jacque). As flechas foram de palito de churrasco – para a grandona eu juntei duas e minha vó colou fazendo um detalhe no meio.

Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira

Sobre o dia:

O dia anterior tinha chovido e o anterior a ele também – sim, eu estava super preocupada de que não conseguíssemos fazer nesse dia, pois fizemos todos os acessórios no final de semana (até umas 4 da manhã) e eu iria entregar o vestido na Thaís naquela mesma semana. Mas, graças ao destino, abriu um sol enorme. Então começou a diversão, fui até a USP de Uber – eu tenho certeza de que se andasse com o arco na rua iriam me achar doida, se bem que, pelo menos eu estaria protegida né hahaha. E de lá eu e Gab fomos até o parque. O lugar é lindo, tem muitas árvores e umas construções que parecem bem antigas – achei bem interessante encontrar umas popós com seus pintinhos e até patos andando pelo parque todo. Bom, estava tudo muito bem obrigada, até que um guarda perguntou se tínhamos autorização para as fotos – hãn? Precisa de autorização nesse parque? Bom, ai tivemos que perder um senhor tempo – nesse momento estava fácil fazer cara de tédio e de brava– até que assinei uma autorização (quase sem conseguir pois a manezona estava sem o cpf) mas então, a recompensa: pocotós!

Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira

Pensem numa pessoa feliz, essa fui eu quando vi os cavalinhos brincando no areião. Um deles – um preto como o Angus, o cavalo da Merida – deixou os outros pocotós brincando e veio até mim, e é claro que eu fiquei super apaixonada! Só não pedimos para tirar fotos mais perto deles pois a moça da autorização parecia muito brava, mas fiquei bem contente com o resultado deles ao fundo.

Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira

 

Uma coisa interessante em tirar fotos são as pessoas que ficam observando. Todos que passavam olhavam, davam um sorriso, ou apenas ficavam olhando. Quando fui me vestir de Samira novamente, umas menininhas na porta do banheiro deram uns sorrisos pra mim como se eu fosse a Merida em pessoa – e isso me deixou muito contente, quem sabe elas não viram algo de valente em mim?

Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira

Outra coisa legal são as caras que eu fiz. Algumas eu jurava que estavam lindas mas no fim eu estava com cara de sono. Já outras, que eu nem estava me importando muito em fazer carão, saíram super lindas! Bom, acho que tenho algum problema com as minhas caras kkkk – pelo menos não sai com cara de bolacha em todas.

Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Brave Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira

 

Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira

Essa foto deferia ir para o meu perfil do Facebook com a legenda – aulas de literários. Sim, semestre passado eu fazia essa cara em toda aula hehe.

Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira Photoshoot ensaio fotográfico Valente Merida Disney fotografia por Bruno Rossener. modelo Samira Oliveira

 

Se você gostou desse ensaio e também quer experimentar a um pouquinho de magia, entre em contato com o Bruno, tenho certeza absoluta que você vai se apaixonar pelas suas fotos como eu me apaixonei pelas minhas. E quem fechar com ele por meio do blog Dezoito em Ponto ganha um desconto especial – então corre mozão! Vocês vão conversar, expor suas ideias, ele vai trabalhar nelas com muito carinho – ele até assistiu Valente de novo para se inspirar antes do ensaio – e então vocês marcam uma datam para as fotinhas e, quando ficarem prontas, ele as entrega editadas e lindas em alta qualidade para você sair postando por ai nas suas redes sociais. ♥

Bruno Rossener, contatos:

Mais uma vez meu muito obrigada à  Thais Fantasias, pela confiança no meu trabalho e por cederem esse vestido lindo para que as fotos ficassem dignas de um conto de fadas!

Thais Fantasias, contatos:

Obrigada àos mozãos: Vóvis poderosa, Creusa, Eduardo e sogrãos lindos; vocês fizeram milagres em menos de um dia! E para não perder nada do que ando aprontado, me siga no Insta e no quase falccido snap: samira_omg

 

Roupas de Harry Potter| Blusa Vintage Edwiges e Vestido estampado com Patronos!
And Roll Store no Ensaio Fotográfico da Bela e a Fera – Fotos em Biblioteca!
Chapelaria Vintage – Onde comprar e como usar chapéus + CUPOM DE DESCONTO
Fotografia

7 on 7 – CORES

13.09.16

Desafio Fotográfico 7 on 7 Cores foto fotografia foto em tons de rosa blog dezoito em ponto por samira oliveiraO dia 7 passou VOANDO e as fotos do desafio demoraram um tiquinho, por conta de muitas leituras da faculdade e de umas coisinhas legais que estou preparando para vocês.

Quem me segue no Instagram deve ter reparado que eu ando tentando pela última vez organizá-lo. E o que deu certo para mim foi organizar em tons de cor de rosa – e eu estou amando! Na verdade a ideia é fazer em cores do arco irís, tipo, 3 colunas de umas cor e 3 de outra e assim vai indo mas não sei se já estou pronta para largar do rosinha.

Então em “cores” selecionei as fotos em tons rosáceos, espero que gostem e não se esqueçam de me seguir lá no Insta.

    • 1. Primeiro essa delicinha de sorvete de Piracicaba diretamente para São Paulo. Ele é de leite ninho trufado e só tem em uma franquia lá de Pira. Nessa foto usei um aplicativo que conheci há pouco tempo o Foodie – e é com ele que estou fazendo as fotos rosinhas. ♥
    • 2. Esta foto do prato acabei não postando, postei essa aqui: Foto   isso porquê eu gostei mais desse fundo rosinha para o contexto do feed.
    • 3. Essa ainda não foi postada lá também porque estou morrendo de medo de desorganizar então eu posto, vejo se combina e já excluo rapidinho – até quando combina eu excluo por #medo.
    • 4. Esses enfeitinhos são do aniversário da Bianca, minha priminha. Ela fez 3 aninhos dia 11 de setembro e estou pensando em mostrar os enfeites que a minha tia fez para a festa, que vocês acham?
    • 5. Esse pooh estava me encarando quando eu abri o Foodie e apontei para cadeira – que de laranja neon passou para esse laranja meio rosa. Juntei os dois e pá!
    • 6. Vocês não tem noção de como amei essa foto. Vai ter ensaio fotográfico com esse look – que foi o vestido Mexicana da Antix e um colarzinho lindo da parceira do blog, a Bruna do Arte Vira Lata – aguardem os próximos capítulos. Coloquei essa foto no perfil do face e as outras que sai sorrindo também. O Eduardo ♥ quem fez essa proeza de tirar essa foto que -pasmem- saiu sem querer.
    • 7. E por último meu salto da Melissa – meu primeiro salto alto, que tenho muito bem conservado e que combinou bastante com o Mexicana ♥
sorvete de leite ninho desafio fotográfico 7 on 7 pratos decorativos mandala havan 7 on 7 desafio fotográfico estudos meia colcha 7 on 7 desafio fotográfico enfeites aniversário minnie rosa 7 on 7 desafio fotográfico 14285671_1331846976855735_1285352055_o ruiva cabelo ruivo penteado para ruivas trança ruiva penteado formatura casamento ruiva sapato melissa salto viviane

E ai? Gostaram das fotinhas? Têm alguma sugestão de post, foto, conversa ou qualquer outro tipo de amor? Comenta aí, eu leio tudo com muito carinho. Não se esqueçam de me seguir no Instagram e de verem os posts anteriores do desafio 7 on 7.

Pequenos prazeres do dia a dia  e  Natureza

Blogueiras participantes: Pequeno Mundo de Sarah, Janela de Sorrisos, Estudante Aleatória, Menina Borboleta, Im Citadim, Purpurina Ácida. Não esqueçam de conferir as fotos dessas lindas! ;) Beijão mozãos!

Roupas de Harry Potter| Blusa Vintage Edwiges e Vestido estampado com Patronos!
And Roll Store no Ensaio Fotográfico da Bela e a Fera – Fotos em Biblioteca!
Chapelaria Vintage – Onde comprar e como usar chapéus + CUPOM DE DESCONTO
Culinária Outros

Receita Secreta: CHUCHU MARAVILHOSO!

06.09.16
Receita refogado de chuchu delicioso maravilhoso blog dezoito em ponto

Hoje vos trago a primeira receita e o primeiro prato que aprendi a fazer/ que fui fazendo por intuição e ficou muito bom. É um refogado de… CHUCHU! Isso mesmo, aquele legume que mais parece água e que não tem gosto e nem graça nenhuma transformado em um prato saboroso e muito fácil de fazer – destinado pra quando bate aquela fominha noturna.

Você vai precisa de:

  • 1 ou 2 chuchu – dependendo do nível da sua fome.
  • 1 tablete de caldo de galinha – ou se preferir deixar mais natureba pode ficar só no alho e na cebola mesmo.
  • Azeite
  • Alho
  • Cebola
  • Queijo Polenghi ultrafiltrado ou polenquinho normal ou pode fazer sem o queijo que fica muito bom também ou com frango – mas ai é outra história e eu não vou ensinar porque já tenho o frango pronto na maioria das vezes hehehe.
  • Pimenta do reino ou molho de pimenta – já fiz com os dois :)
2016-08-14-19-40-31

Primeiro você precisa tirar a casca do chuchu e cozinhar ele na água quente por um tempo (coloque um pouquinho de sal junto). Essa parte quem faz é a minha linda avó, que depois corta ele em quadradinhos e manda pra mim, ai eu só preciso cortar em quadradinhos menores e fazer ♥ Então você por favor, use uma tábua de carne/ legumes para cortar – eu uso essa de vidro que aparece nas fotos, é linda e super durável. Caso contrário eu não me responsabilizo por acidentes de percurso ein – como cortar o dedo ou algo assim.

receita chuchu dos sonhos com queijo refogadoDepois refogue o alho e a cebola no azeite, cuidado para não deixar queimar – uma vez eu meio que esqueci a panela no fogo e queimou tudo as cebolas que eu havia picado, fiquei sem coragem de fazer de novo em comi uma manga hehehe. Talvez precise de um pinguinho de água para não queimar eu acho ai você coloca a pimenta e os chuchus e meche por um tempo até todos estarem mais derretidos (mais macios) e coloque os pedacinhos de queijo – se quiser!

Ai pronto, é só reservar e fazer o mais importante: lavar a louça! Nada de deixar a louça pro amiguinho lavar – embora ás vezes você pode ser tão harmônico com seu amiguinho que um lava a bagunça do outro, como eu e a Jacque! ♥ Mas se você mora numa república, lave o quanto antes possível – e limpe o fogão também, por favor. Se você é solteirx também, fais esse favô a ocê mesmo e lava tudo, belê? E se for inventar de fazer na casa da mamãe, não me vá inventar desculpinha de que “eu estava cozinhando!” e lava e guarda tudo no final, tá bem?chuchu receita queijo no prato

Essa receitinha é de um restaurante perto de casa que eu e vó costumamos comer de domingo, se chama Divino, e tem um chuchu divino! Quando tinha eu almoçava só chuchu com frango grelhado, era meu prato preferido de lá! A cozinheira disse que o segredinho era a pimenta do reino e o caldo de galinha, mas sabem? Nunca consegui fazer um igual! Porém ele fica muito gostoso e diferente :D Ah e cuidado para não comer tanto chuchu assim que faz a pressão cair e bom, é perigoso ;)

polenghi receita chuchu refogado com queijo receita Samira blog dezoito em ponto 2016-08-14-19-43-30

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mozãos, agora vocês já sabem meu maior segredo culinário – e sabem o que eu mais gosto de cozinhar e que – por enquanto – o meu “aprontar na cozinha” para aqui hahaha. Se você gostou desse post e quer ver mais deles por aqui, me avise nos comentários, assim eu trago mais coisinhas gostosas. O que vai me obrigar a saber cozinhar mais do que chuchu e ovo, ou não né hahah vida de universitário é complexa. E para não perder nadica de nada me acompanhe nas redes sociais (Insta, Face, Snap: samira_omg) e dê seu likezin aí em baixo ;)

Tendências de Moda e Beleza para Primavera Verão 2018
T- shirts Femininas Estampadas com Bichinhos Fofos! – Cereja Pink
Tênis criativos da Usthemp – Sapato de Borboletas!
Pessoal Textos

Quando o adeus é o melhor do “Era uma vez”

29.08.16
QUANDO O ADEUS É O MELHOR DO -ERA UMA VEZ texto autora escritora Samira Oliveira

Hoje o dia todo percebi que não te disse coisas que eu deveria ter dito. Não disse. Bom, talvez tenha dito – usando outras palavras, ou talvez falando entre os dentes, mas disse. Simplesmente porquê, você sabe, eu não consigo não falar o que sinto, não me manifestar. Não posso ficar com a palavra entalada na garganta. E é por isso, e pelo bem de nós dois que eu preciso finalmente me despedir.

Finalmente eu não estou chorando – o que é um milagre, visto que desde que você chegou e me ensinou a chorar eu não parei mais – derramando águas por todas as minhas forte emoções, seja de uma batida no dedinho do pé até o casamento dos meus professores. Não estou chorando, porquê demorei muito para chegar a este consenso entre os meus sentimentos mistos por você – hey, não se assuste, não é o que está pensando.

Hoje mesmo um amigo me disse que temos que fazer com que o infinito caiba no tempo limitado que você tem ao lado de quem ama. Porque se Deus te permitiu que encontrasse aquela pessoa e que você ficasse com ela por aquele determinado período de tempo, poxa, você é um homem de sorte. Se conseguiu encontrar o amor – entre tantas pessoas – e passar um tempo ao lado dele é porque esse tempo deve – Precisa – ser, valorizado. Precisa fazer caber todo um infinito de amor e de sentimentos naquele pequeno tempo limitado. Precisa fazer com que todos o filmes assistidos agarradinhos no sofá – com os pés frios enrolados nas pernas do outro – valham a pena. Tem que fazer com que aquele giro inesperado no meio de alguma loja do Shopping – com um monte de gente olhando feio ou rindo – valha a pena. Fazer com que todo o tempo que gastaram decorando o nome de cada parente distante, guardando a localização exata de cada pintinha no braço do outro, de cada caracol do cabelo, de cada marca de perfume que outro usa – tenha valido a pena. Temos que fazer isso tudo valer a pena. Afinal, essa deveria ser a maior lei de todo relacionamento: vamos fazer valer. Se não for para fazer valer então nem comecem; se não for para chorar sem motivo à noite – imaginando como seria sua vida se Deus o pedisse de volta – então não fique. Se não for para me escrever cartinhas dizendo o quanto você mudou e agora até canta no chuveiro porquê eu trouxe luz à sua vida – então não fique. Se não for para parar a sua vida, e adiar o seu mundo – então…não fique…Não! Não adie o seu mundo por mim! É por esse meu pensamento egoísta que eu tenho medo de nós dois. Tenho medo porquê minhas asas são enormes e as suas são para voar rente ao chão. Tenho medo porque você é fiel com cada célula do seu corpo – e eu não tenho a mesma certeza sobre mim. Você quer a segurança – eu quero o pulo de asa delta. Você quer morar numa mansão – eu quero nós dois fazendo brigadeiro e jogando bola pros nossos cachorros numa casinha de madeira. Você quer o mundo – eu só quero você. Eu sou do mundo, eu tenho mundo – mas eu não tenho você. Eu quero me entregar – você tem medo. Eu te conto até sobre as minhas dúvidas existências, eu abro meu coração, eu desnivelo o que sou, desenrolo meus pensamento, abro e estendo a você cada milímetro da minha essência – porque cada ato meu é um resumo de tudo que eu já passei e vivi – mas você se fecha e não me deixa sequer bater. E nesse jogo todo você não me deixa atingir a sua essência. Você não me mostra o que você é.

Por essa razão eu digo: chega. Sabe quando a Linha Azul se encontra com a Verde nas Estações Ana Rosa e Paraíso? Foi aquele momento – aquele importante momento – em que elas se encontraram. Por isso, se me foi permitido que eu te encontrasse nessa momento, e que nossas linhas se cruzassem. Se nos foi permitido termos um ao outro até esse momento. Não podemos ter medo de dizer adeus. Talvez nossas linhas tenham outros pontos para cumprir, tenham outras vidas para transformar. Talvez, bem talvez você consiga dormir à noite pensando em outra – agarrado à foto de outra. E talvez, bem talvez, algum outro alguém consiga curar meus medos como você curou – e que você rasgará novamente se se for. Talvez alguém me ensine novamente como é ser forte, como é ser bela, como é me sentir linda. Talvez um outro alguém seque minhas lágrimas exatamente como você fez. Talvez outro alguém me abrace forte enquanto eu conto sobre o meu avô sob um céu estrelado. E talvez você finalmente encontre as palavras necessárias para escrever uma música para outra – palavras que você nunca encontrou para mim. Talvez um dia ela também te dê forças para continuar a sonhar – até mais do que eu. Talvez ela entenda o sorriso da sua mãe – mais do que eu. E seja até mais agradável para com o seu irmão. Talvez com ela seus pais digam como gostariam de tê-la em sua família – e ai eu sei , você vai sorrir (dar aquele sorriso que eu tanto amava) e dizer que esse dia está próximo, o dia que vocês serão uma só família. E eu? Eu serei apenas a linha que prosseguiu. Alguém que precisou partir porquê não foi forte o suficiente, porque não lutou o suficiente. Ou apenas porquê foi forte de mais – verdadeiro de mais. E as nossas linhas se encontraram exatamente naquele tempona intensidade daquele momentoque foram o bastante para transformarem a vida dos dois. Talvez, bem talvez um dia eu aprenda que eu também queria morar numa casa grande – e você também gostaria de móveis em madeira. Talvez a gente perceba que as nossas linhas eram para terem continuado – que apenas não seguiram juntas por causa de uma pedra no meio dos trilhos. Então quem sabe, suas asas terão crescido e você terá voltado para aquela cidade. E eu? Bom, você sabe onde eu moro! Afinal fui eu quem quis assim não é mesmo? E os caminhos que tanto deveriam ter se separado – terão finalmente encontrado o caminho de volta.

Precisamos apenas fazer com que o seu caminho e o meu se encontrem eté o fim do trilho Que não sejam talvez o mesmo –mas que sejam parecidos. Que os nossos caminhos possam – quem sabe um dia – se tornar o mesmo. Assim como os meus pensamentos – que se emarranham tanto que eu não sei mais onde começam os sentimentos sobre mim e os sentimentos sobre você . Como eu poderia algum dia sequer tentar separá-los sem arrancar metade da essência do que eu sou? Sem portanto, finalmente alegar um grande arrependimento? – justo eu que julgo que cada ação é um resumo do que sou! Precisamos fazer com que nunca nossas linhas sejam tão diferentes uma das outras para que seja necessário partir. Precisamos – da janelinha do trem – gritar com todo os ar dos nossos pulmões: Adeus! Adeus para que possamos recomeçar. Adeus para que não tenhamos medo do fim – do desconhecido. Para que possamos continuar seja em outra vida, seja em outro trem. Adeus para que sempre nos lembremos de que nossas linhas podem se reencontrar – seja nessa vida, seja em outra. Adeus porquê eu sei exatamente, que meus olhos só vão brilhar quando for você quem me levantar no colo. Adeus pois apenas eu sei o jeito exato de mexer nos seus cabelos – sei exatamente como te fazer se sentir único. Adeus pois o nosso fim chegará apenas quando Deus quiser. Adeus pois quero sempre recomeçar com você. Adeus porque eu não aguento mais chorar – eu não quero você longe mas eu quero que siga o seu caminho. Adeus pois a gente vai se reencontrar.

Animal terrestre e animal de céu
Lembranças do “quartinho do fundão”| Um texto sobre desatulhamento
Ecdise – Conto de Samira Oliveira +18
Página 24 de 28
«1 ...202122232425262728... 28››