Posts da tag "Livros"
Literatura

Desvende Meu Estilo| Um livro para quem gosta de moda e para quem ainda não conhece seu próprio estilo.

13.09.17

Desvende Meu Estilo é editado pela Belas Letras e escrito por Dominic Evans. Dom&Ink é ilustrador e mora em Manchester, na Inglaterra. Seu primeiro livro “Desvende Meu Coração” também é interativo e publicado pela mesma editora.

Se você gosta daqueles livros interativos – que começou com”Destrua Este Diário” – esse livro é pra você! Com muito humor e ousadia, você se sente como que conversando com um amigo (versado no vale dos unicórnios) e que entende tudo sobre moda. Ele nos incita a colorir as ilustrações, preencher as lacunas, escrever, recortar, colar, pintar e bordar! Amei as partes em que o leitor pode anotar coisas úteis, como por exemplo as coisas que “queremos comprar” e o que “precisamos comprar”Leia mais

O Diário de Myriam – Um relato fiel e puro da Guerra na Siria| Resenha DarkSide Books
Jack O Estripador – Rastro de Sangue | protofeminismo na Londres Vitoriana, suspense e cadáveres
Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Fotografia

Alice e Chapeleiro Maluco Photoshoot| Ensaio Fotográfico Kids

12.09.17
Alice e Chapeleiro Maluco Photoshoot| Ensaio Fotográfico Kids Alice in Wonderland com Samira Oliveira DEZOITOEMPONTO.COM

Esse Photoshoot não poderia ser mais especial! Alice no País das Maravilhas é um clássico pelo qual sou apaixonada (só perde para Harry Potter hehe) e logo tive a ideia de fazer um ensaio fotográfico bem Wonderland com a Bianca, a minha priminha. Ela de Alice e eu de Chapeleiro Maluco! As fotos foram feitas em Piracicaba, pela querida Aline Aragon e editadas pelo meu amado fotógrafo Braga.

“Alice: Chapeleiro, você me acha louca?

Chapeleiro: Louca, louquinha ! Mas vou te contar um segredo: as melhores pessoas são.”


Alice e Chapeleiro Maluco Photoshoot| Ensaio Fotográfico Kids Alice in Wonderland com Samira Oliveira DEZOITOEMPONTO.COM

O figurino do Chapeleiro ficou por conta da Thaís Fantasias (eu já fiz outro ensaio em parceria com eles, o Photoshoot da Valente!), uma fantasia pela qual morro de amores e que já tinha usado há um tempo, quando fiz esse cosplay na escola (pela primeira vez!). Já o vestidinho da Alice, eu busquei referências na internet e montei o vestido que eu tinha pensado, então ele foi confeccionado especialmente para ela. Acho que o photoshoot da Alice e Chapeleiro Maluco foi o que eu mais planejei e busquei coisas para o cenário. Encontrei vários enfeites na 25 (amo esse lugar, mas sempre entro pobre e saio miserável kkkk), fiz os biscoitinhos eat me e o drink me da Alice, comprei pelúcias da Alice no AliExpress, peguei emprestado algumas louças de família do meu pai, fiz alguns balões que logo aparecerão aqui como DIY para você também :), enfim, foi um ensaio fotográfico muito sonhado e muito especial!

Leia mais

A Nova Eva e a conspiração de Lilith – Ensaio Fotográfico
Como fotografar unhas para o Instagram – 8 dicas valiosas para ter JÁ fotos MAGNÍFICAS
Ensaio Fotográfico Vintage em Lavanderia
Literatura

Amor à Moda Antiga – Fabrício Carpinejar | Livro de Poemas

11.09.17

Amor à Moda Antiga é editado pela Belas Letras e reúne poemas amorosos do escritor Fabrício Carpinejar. Todos escritos em uma máquina de escrever verde esmeralda (minha cor favorita, também quero uma!) Olivetti Lettera 82. Seus escritos foram publicados sem nenhuma alteração, mantendo até mesmo as anotações do autor – sem retoques ou correções. Carpinejar escreveu esta coletânea em seu apartamento no bairro Petrópolis – Porto Alegre, entre a primavera de 2015 e o verão de 2016.

Se o poeta se aliou ao homem de carne e osso, então essa obra é pós relacionamento. Nem para tanto, se a realidade não for essa na vida do homem, pode o ser na vida do poeta – certo? A maioria dos poemas carregam um sentimentalismo de quem se esforça para esquecer um amor. Como se pegasse do fundo do peito o sentimento, somasse a um pouco de lágrimas e produzisse esses poemas. Mas também senti um tom de saudade e de paixão; ao ler alguns poemas mais cinematográficos, imaginei casinhas de madeira no campo, arvores floridas e café quente. Este é um dos meus preferidos:

Leia mais

O Diário de Myriam – Um relato fiel e puro da Guerra na Siria| Resenha DarkSide Books
Jack O Estripador – Rastro de Sangue | protofeminismo na Londres Vitoriana, suspense e cadáveres
Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Literatura

Resenha “Esqueça o Amanhã” – Pintip Dunn | Galera Record

07.08.17

Livro: Esqueça o Amanhã
Série: Forget Tommorow Series
Autor(a): Pintip Dunn
Editora: Galera Record
Genero: Distopia YA
Páginas: 383
Classificacao:
Sinopse: Em uma sociedade onde jovens recebem uma visão de seu futuro quando completam 17 anos, todos têm uma carreira a qual dedicar seus esforços. Um campeão de natação, um renomado cientista, um chef de sucesso… ou, no caso de Callie, uma assassina. Em sua visão, a garota se vê matando a própria irmã. Antes que ela possa entender o que aconteceu, Callie é presa – e a única pessoa capaz de ajudá-la é Logan, uma paixonite de infância com quem não fala há cinco anos. Agora, Callie precisa descobrir uma forma de proteger sua irmã da pior das ameaças: ela mesma.

Esqueça o Amanha - Pintip Dunn | Galera Record Resenha por Samira Oliveira DEZOITOEMPONTO.COM

Antes de mais nada, eu preciso te explicar com o máximo de clareza, minha história com esse livro. Desde que o escolhi entre os lançamentos da Galera Record, tive a sensação de ele seria um Young Adult muito bom – mas não me preparei para o baque que seria lê-lo. Em meio a tantos outros livros que eu recebi, “Esqueça o Amanhã” me chamava – não pela capa, ou pela sinopse, mas talvez pelo próprio Destino – assim, essa obra acabou passando na frente de tantas outras que eu queria muito ler. E eu me deixei levar, completamente hipnotizada. E ao final dessa resenha, espero que você também sinta na base da coluna, a incontornável necessidade de lê-lo.

Eu evito ler no carro porque me causa muita vertigem, mas dessa vez não consegui evitar, e passei mais de 2 horas – viajando de Piracicaba até São Paulo – sem conseguir levantar os olhos, um segundo que fosse, do livro. Mais tarde tive de me obrigar a largar as páginas, quando olhei para o relógio e as horas já avançavam na madrugada – detalhe: eu tinha aula cedo no outro dia. Enfim, umas 6 horas depois, cá estou eu, querendo que Pintip Dunn se materialize na minha frente para que eu possa abraça-la e falar o quão impressionante é essa distopia.

Para mim é bem claro que a narração dos livros da Galera são bem fluídas e leves, mesmo porque estamos falando  essencialmente de livros para adolescentes – ou se você preferir: YA. Mas narrações magnéticas – que te prendem como um ímã – essa é uma qualidade que nem todos os YAs compactuam. “Esqueça o Amanha” se passa em uma sociedade construída após um Boom Tecnológico – na cidade de Eden City – que fez com que vários mistérios e perguntas que nos fazemos diariamente, fossem solucionados de maneira aparentemente simplista. Você já teve aquela vontade absurda de querer saber o futuro? Já passou pela sua cabeça, algo como: “Se eu soubesse que tudo resultaria nisso teria ficado mais tranquilo”? Nunca quis ver onde toda a sua estrada acabaria? Bem… nesse mundo isso é possível, na verdade tudo gira em torno da sua memória do futuro, que você receberá ao completar 17 anos de idade.

E é exatamente isso o que Callie mais deseja – isso ou a proteção máxima de sua irmã de 6 anos, Jessa. Neste mundo, o futuro é regra e o Destino é seu deus. As pessoas não fazem comida manualmente e são agrupadas na escola de acordo com sua data de nascimento – essa data é tão importante que passa a ser o seu nome real (ao menos para as autoridades) – e tudo é vivido em prol da sua visão do futuro. Após recebê-la você só tem uma opção: viver sem a possibilidade de um Plano B, completamente à mercê do Destino. O que Callie mais deseja é que sua visão seja de uma grande Cozinheira Manual – algo raro e que apenas as pessoas mais ricas podem bancar (em sofisticados restaurantes), espera que sua paixonite de infância Logan talvez tenha algum lugar nisso tudo. Mas o que ela realmente recebe no dia do seu aniversário, naquele que deveria ser o dia mais feliz da sua existência neste espaço-tempo, é a resposta: ela é uma assassina. E pior: da sua irmãzinha Jesse.

Leia mais

O Diário de Myriam – Um relato fiel e puro da Guerra na Siria| Resenha DarkSide Books
Jack O Estripador – Rastro de Sangue | protofeminismo na Londres Vitoriana, suspense e cadáveres
Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Literatura

Minha Vida Fora dos Trilhos – Clare Vanderpool | Guerra e imigração nos EUA

07.08.17

Livro: Minha Vida Fora dos Trilhos
Série: DarkLove
Autor(a): Clare Vanderpool
Editora: DarkSide
Genero: Romance
Páginas: 311
Classificacao:
Sinopse: A protagonista de Minha Vida Fora Dos Trilhos, Abilene Tucker, tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest, Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia. O que parecia ser o período mais solitário e entediante de sua vida ganha um novo e surpreendente rumo quando Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e pequenas lembranças de outros tempos. Aos olhos curiosos da menina, a caixa se torna uma verdadeira arca do tesouro, onde segredos enterrados conectam dois momentos da cidade. A partir de então, o livro se divide em duas narrativas cronológicas: passado e presente se misturam, daquela maneira mágica que só um bom livro consegue contar. Os acontecimentos vão da época da Primeira Guerra Mundial à Grande Depressão norte- americana dos anos 1930, com soberba fidelidade histórica que ajudam a construir esta narrativa de perda e redenção.

Nunca um livro foi tão propício para a época que estamos vivendo quanto “Minha Vida Fora dos Trilhos”. Tratando de questões sérias como imigração, Primeira Guerra Mundial, xenofobia e exploração trabalhista, a obra só ganha essa dimensão depois que você termina a leitura e pesa todos os assuntos tratados. Apesar das questões pesadas a narração é tão leve, divertida e gostosa que o tempo passa e você está lá, em 1936 sem querer sair dos trilhos da cidade de Manifest.

Quem sonharia que alguém pode amar sem ser esmagado por esse peso?

“Minha Vida Fora dos Trilhos” é sobre uma garotinha chamada Abilene que desde sempre viveu junto ao pai Gideon Tucker vagando pelos Estados Unidos em busca de emprego; comida de caridade e eventualmente, um teto para dormir. A vida de Abilene era feliz perto do pai, mesmo com todas as adversidades – toda a sua narração baseada em lembranças são repletas de doçura e saudades. Lembranças, pois o livro começa com a chegada da menina sozinha à Manifest, uma cidade assentada sobre uma mineradora o qual explora os mineiros com altas horas de trabalho e pagamento em vales para trocar no armazém da companhia mineradora. É interessante perceber como a garota, que também é a narradora, enxerga ao mundo e a si própria – chegando a conclusão máxima de que ela não pertence a lugar algum, e sem Gideon para cuidar dela, não pertence nem mesmo a essa cidade. Seu pai a mandou para a Manifest pois foi a cidade em que ele supostamente cresceu e, pelo que foi prometido, ele voltará para buscá-la antes das férias de verão acabarem – fato que é desconversado por Shady e Hattie Mae.

Leia mais

O Diário de Myriam – Um relato fiel e puro da Guerra na Siria| Resenha DarkSide Books
Jack O Estripador – Rastro de Sangue | protofeminismo na Londres Vitoriana, suspense e cadáveres
Esse livro me salvou – A Guerra Que Me Ensinou a Viver da DarkSide Books
Página 4 de 8
12345678